Obesidade materna e diabetes associadas ao autismo

Estudo publicado na revista “Pediatics”

12 abril 2012
  |  Partilhar:

As mulheres obesas e com diabetes têm um maior risco de terem filhos com doenças do espetro do autismo ou com outros problemas de desenvolvimento, sugere um estudo publicado na revista “Pediatics”.

 

Para este estudo os investigadores da University of California, nos EUA contaram com a participação de 1.004 crianças, com 24 a 60 meses de idade, que foram acompanhadas entre 2003 e 2010. No total, 517 crianças tinham sido diagnosticadas com doença do espetro do autismo, 172 com outros problemas de desenvolvimento e 315 apresentaram um desenvolvimento normal.

 

Após terem tido acesso aos dados clínicos das mães, os investigadores constataram que as mulheres obesas tinham um risco 67% maior de terem crianças com doenças do espectro do autismo, do que as mulheres que tinham um peso considerado normal e que não sofriam de diabetes ou hipertensão. Foi também verificado que as mulheres obesas apresentavam um risco duas vezes maior de terem filhos com outras doenças de desenvolvimento.

 

O estudo apurou que em comparação com as mulheres saudáveis, as com diabetes apresentavam um risco 67% maior de terem filhos com atrasos de desenvolvimento. Por outro lado, foi também verificado que as crianças de mães diabéticas, que sofriam de doenças do espetro de autismo, apresentavam maiores dificuldades na compreensão da linguagem e na comunicação adaptativa, do que as crianças com doenças do espetro do autismo cujas mães eram saudáveis.

 

Contudo, mesmo as crianças cujas mães tinham diabetes e que não tinham desenvolvido doenças do espetro do autismo apresentavam maiores dificuldades na socialização, para além da compreensão e produção da linguagem, do que aquelas filhas de mães saudáveis.

 

“Mais de um terço das mulheres americanas em idade fértil são obesas e cerca de um décimo desenvolve diabetes gestacional ou diabetes tipo 2 durante a gravidez. Os nossos resultados sugerem que este tipo de condições podem estar associadas com problemas de desenvolvimento das crianças e podem ter sérias implicações na saúde pública”, revelou em comunicado de imprensa, uma das autoras do estudo, Paula Krakowiak.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.