Obesidade está associada à esclerose múltipla

Estudo publicado na revista “PLOS Medicine”

01 julho 2016
  |  Partilhar:

Os indivíduos que são obesos no início da idade adulta apresentam um risco aumentado de desenvolver esclerose múltipla, sugere um estudo publicado na revista “PLOS Medicine”.
 

O estudo levado a cabo pelos investigadores do Instituto Lady Davis, no Canadá, e por investigadores do Reino Unido fornece uma confirmação adicional de estudos observacionais preliminares que já tinham sugerido a existência desta associação.
 

A esclerose múltipla é uma doença neurológica progressiva que pode conduzir à incapacidade e morte. Esta patologia surge frequentemente entre os 20 e os 40 anos de idade, ou seja, entre os jovens adultos e afeta com maior incidência as mulheres do que os homens. Os indivíduos afetados por esta doença podem apresentar fadiga, neurite ótica (uma inflamação do nervo ótico), perda da força muscular nos braços e pernas, alterações da sensibilidade, dor, entre outros sintomas.
 

A esclerose múltipla envolve danos na mielina, uma substância rica em lípidos que rodeia os nervos na espinal medula e cérebro. As causas da doença ainda são pouco conhecidas, mas acredita-se que o sistema imunitário desempenhe um papel importante. Na verdade a esclerose múltipla é considerada uma doença autoimune, na qual o sistema imunitário ataca os seus próprios tecidos.
 

Esta doença crónica ainda não tem cura e os tratamentos atualmente disponíveis têm apenas efeitos moderados na doença e nos seus sintomas, o que realça a importância de identificar medidas preventivas.
 

Os investigadores, liderados por Lauren Mokry, realizaram um estudo de randomização mendeliana numa base de dados populacional extensa de forma a apurar se a obesidade geneticamente determinada estava associada a um risco elevado de esclerose múltipla.
 

O estudo apurou que uma alteração no índice de massa corporal de excesso de peso para obesidade, o equivalente a uma mulher adulta aumentar de 68 para 81kg, estava associada a um risco 40% maior de desenvolver esclerose múltipla.
 

“Estes achados podem ter implicações importantes para a saúde pública devido à elevada prevalência da obesidade em muitos países”, referiram, em comunicado de imprensa, os investigadores.
 

Os autores do estudo acrescentam que uma vez que a idade média do início da esclerose múltipla é entre os 28 e os 31 anos, estes resultados devem proporcionar uma motivação adicional para combater o aumento das taxas de obesidade na juventude através da implementação de intervenções comunitárias e escolares que promovam a atividade física e uma alimentação saudável.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.