Obesidade em idosos associada a maior risco de demência

Estudo publicado no “Human Brain Mapping”

27 agosto 2009
  |  Partilhar:

Os idosos obesos têm menos tecido neurológico nas regiões dos lobos frontal e temporal, refere um estudo publicado na revista “Human Brain Mapping”, que sugere uma ligação entre excesso de peso e maior risco de desenvolvimento de demências, nomeadamente, Alzheimer.

 

Trata-se do primeiro estudo que apresenta provas que sustentam a relação entre o excesso de peso e o declínio cognitivo.

 

A equipa, liderada pelo neurocientista Paul Thompson, verificou, ao analisar 94 pessoas, com uma média etária de 70 anos, que as pessoas obesas tinham menos 8% de tecido cerebral do que as pessoas com peso normal. Por seu turno, os voluntários que apresentavam excesso de peso tinham menos 4% de tecido cerebral quando comparadas com os que estavam dentro dos valores de peso normais.

 

Segundo os cientistas, trata-se de uma grande perda de tecido, que conduz a um aumento do risco de desenvolvimento de Alzheimer e de outras demências.

 

“O cérebro das pessoas obesas aparenta ter mais 16 anos e o dos indivíduos com excesso de peso parece ter mais oito anos que o das pessoas com peso normal”, explicaram os especialistas.

 

De acordo com os resultados da investigação, a maior perda de tecido ocorre nos lobos frontal e temporal, áreas do cérebro associadas à tomada de decisões e à memória.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.