Obesidade: cortar açúcar melhora rapidamente a saúde

Estudo publicado na revista “The Journal of the American Osteopathic Association”

11 agosto 2017
  |  Partilhar:
As crianças e adultos com excesso de peso que reduzam o teor de frutose na alimentação beneficiam de melhorias mensuráveis na função metabólica, em menos de duas semanas.
 
Esta é a conclusão de um estudo de uma equipa de investigadores da Associação Osteopática Americana (“American Osteopathic Association”, no seu original em inglês), que argumentam também que será mais eficaz pedir aos pacientes obesos que cortem o açúcar por questões de saúde, deixando o tema do peso para segundo plano. 
 
O estudo, que consistiu na revisão e sumarização de inúmeros estudos controlados, evidenciou uma associação entre o consumo elevado de açúcar, particularmente a frutose, e um aumento na síntese da gordura no fígado.
 
Os investigadores observaram que a frutose é um tipo açúcar simples particularmente prejudicial; ao contrário da glicose, que é metabolizada em 20% no fígado e em 80% no resto do corpo, 90% da frutose é metabolizada no fígado e convertida em gordura com uma rapidez 18,9 vezes maior do que a glicose.
 
O xarope de milho rico em frutose é um ingrediente presente em muitos alimentos e bebidas processados pois é mais barato e 20 vezes mais doce do que o açúcar de cana. 
 
A frutose ativa as vias metabólicas que a convertem em gordura, provocando assim o aumento de peso. Simultaneamente, o cérebro não reconhece o consumo da frutose e assume que o corpo tem fome, tornando-se letárgico e menos propenso a estar fisicamente ativo.  
 
Tyree Winters, um osteopata infantil especializado em obesidade infantil, explica: “muitos pacientes mais jovens dizem-me que estão sempre com fome, o que faz sentido porque o que comem não ajuda os seus organismos a funcionar”.
 
Com o excesso de peso e obesidade, instala-se o risco de problemas relacionados com a obesidade já bem conhecidos: diabetes de tipo 2, colesterol mau e triglicerídeos elevados, problemas cardiovasculares, doença hepática e outros.
 
“Se cortarmos o xarope de milho rico em frutose e dermos lugar a alimentos que o organismo consegue metabolizar adequadamente, desaparecem a fome e a necessidade de consumir açúcar. Os pacientes estarão ao mesmo tempo a ficar mais saudáveis sem dietas ou a contarem calorias”, acrescentou Tyree Winters
 
O especialista sugere ainda que se faça testes ao sangue cerca de duas semanas após os pacientes terem concordado reduzir o consumo de açúcar, de forma a ajudá-los pacientes a testemunharem claramente o seu esforço e ficarem motivados para continuarem a melhorar a sua saúde.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.