O que é o antraz?

Saiba como ocorre a contaminação

08 outubro 2001
  |  Partilhar:

O Antraz é uma doença que infecta animais, sobretudo ruminantes, mas que pode ser transmitida ao homem por contacto com estes ou pelos subprodutos.
 

 

Na maioria das vezes, o Antraz é contraído pela pele, podendo também ser por via digestiva, através de carne contaminada.
 

 

O bacilo responsável por essa doença, denominado Bacillus antracis, liberta toxinas. Adoptando a forma de esporos, estas bactérias resistem à destruição e podem sobreviver várias décadas em terreno infectado, como por exemplo solos onde foram enterrados animais doentes.
 

 

O período de incubação do bacilo dura em média de três a cinco dias. No caso da incubação no pulmão, já foi registrado um caso em que a incubação demorou 60 dias.
 

 

Como se «apanha» e sintomas
 

 

A inalação destes esporos pode provocar um Antraz pulmonar, a forma mais temível da doença. Dependendo de seu estado de saúde, o indivíduo atacado fica mais, ou menos, vulnerável se já tiver infecção pulmonar.
 

 

Na pele, a infecção caracteriza-se pela formação de uma crosta vermelha, que pode originar uma grande ferida preta. Pode ser acompanhada de mal-estar, febre, dores musculares e náuseas.
 

 

A princípio, os sintomas da forma pulmonar da doença assemelham aos de uma gripe, nem sempre com febre. Em pouco tempo após estes sintomas, 24 a 36 horas depois, a pessoa infectada terá dificuldades respiratórias, a pele adquire um tom azulado e a pessoa pode entrar em estado de coma e morte.
 

 

A doença pode afectar o cérebro e, no caso de um Antrax digestivo, pode destruir os tecidos (necrose). Também pode provocar uma infecção sanguínea generalizada e um impacto tóxico que podem matar o paciente.
 

 

Tratamentos
 

 

Há tratamento com antibióticos (como a ciprofloxacina, ciclinas e penicilina, se a bactéria for resistente), mas a forma pulmonar deve ser rapidamente tratada.
 

 

Em 1888, Louis Pasteur elaborou uma vacina, para animais, contra o Antrax a qual foi aplicada em ovelhas. A vacina que existe hoje, porém, não é considerada apropriada ao homem, por seus fortes efeitos secundários.
 

 

Em 1979, um acidente ocorrido num centro militar na Rússia dispersou esporos do antrax que provocaram a morte de 68 pessoas. Os EUA temem que a bactéria seja usada em armas químicas.
 

 

Paula Pedro Martins
 

 

MNI - Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.