"O HPV não escolhe sexo nem escolhe idade. A prevenção também não"

Campanha lançada pela Liga Portuguesa Contra o Cancro

20 dezembro 2012
  |  Partilhar:

A Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) lançou uma campanha para alertar as mulheres de meia idade e homens de para o risco de contraírem a infeção pelo vírus do papiloma humano (HPV).
 

Com o título "O HPV não escolhe sexo nem escolhe idade. A prevenção também não", a campanha tem por objetivo chamar a atenção para a importância de homens e mulheres se vacinarem, independentemente da idade.
 

O presidente da LPCC, Carlos Oliveira, explicou à agência Lusa que a campanha inicial contra o HPV, lançada em 2007 e que termina este ano, visou as raparigas entre os 13 e os 17 anos, faixa etária em que os estudos na altura mostraram que a vacina tinha efeito.
 

Dado que a infeção é transmitida por via sexual, era importante que as raparigas se vacinassem  no início da sua vida sexual, o que acabou por acontecer, com a inclusão da vacina no plano nacional de vacinação.
 

“Posteriormente, estudos mostraram que a utilização da vacina pode e deve ser estendida a mulheres com mais de 25 anos e até aos 45/50 anos. Demonstrou-se também que é benéfica nos homens, razão pela qual a campanha agora lançada é para dar a conhecer que o HPV não distingue sexos nem idades”, disse.
 

Carlos Oliveira referiu que a campanha inicial foi bem-sucedida na transmissão da mensagem, de que é sinal o facto de um inquérito recente ter demonstrado que a maioria dos inquiridos, sobretudo mulheres, conhece o HPV, sabe que a vacinação é direcionada para as mais jovens e que o principal cancro provocado pelo vírus é o cancro do colo do útero.
 

Contudo, o mesmo inquérito mostrou que há muito desconhecimento por parte dos homens sobre esta infeção e principalmente que a população está mal informada quanto aos vários tipos de cancro que pode provocar.
 

Carlos Oliveira explica que, o HPV pode provocar, comprovadamente, cancro da vagina, da vulva, do pénis e do canal anal.
 

“Não há dados definitivos ainda, mas provavelmente provoca também cancro orofaringico e da cavidade oral. Esta informação não será para já usada na campanha, porque ainda se espera comprovação científica dos estudos”, disse Carlos Oliveira.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.