O fim das dores-de-cabeça?

Implante no coro cabeludo acaba com as cefaleias

29 maio 2005
  |  Partilhar:

 

 

 

São muitas as pessoas que sofrem de dores de cabeça. Mas já imaginou livrar-se deste mal com um implante no couro cabeludo?
 

 

É verdade que muitas das dores-de-cabeça são devidas a enxaquecas, mas outras resultam de nervos danificados ao longo do rosto ou do couro cabeludo. Um novo tratamento, baseado no implante de um pequeno eléctrodo, está a dar bons resultados nos Estados Unidos.
 

 

Uma paciente, Teresa Lamesch, sofria há dois anos com uma dor de cabeça incapacitante. O suave toque do sopro do vento na testa causava-lhe espasmos de dor. A luz do Sol ou ruídos leves faziam-na nauseada.
 

 

Teresa não conseguiu melhorar com nenhum tratamento. Até que aceitou participar na experiência do cientista Sandeep Amin, que usou um minúsculo eléctrodo preso a uma agulha e o implantou sob a pele, perto do olho esquerdo da paciente, acima do nervo responsável pela dor.
 

 

Com a energia fornecida por uma bateria implantada perto da clavícula de Teresa, o aparelho continuamente ataca o nervo com impulsos eléctricos - bloqueando a dor da paciente.
 

Agora, alguns médicos estão a avaliar como os estimuladores de nervos, implantados em diferentes pontos ao longo da cabeça, poderiam livrar as pessoas dessas dores debilitantes causadas pelos nervos.
 

 

Durante dezenas de anos, os médicos implantaram eléctrodos ao longo da espinal medula para bloquear certos tipos de dor do pescoço por meio da interrupção daqueles sinais. Mas o estimulador tinha que ser colocado acima do local da dor. Deste modo, bloquear a dor nas costas, nas pernas ou nos braços era possível, mas não na cabeça.
 

 

A descoberta de que a estimulação dos nervos da cabeça e do rosto em níveis profundos da pele, não só directamente contra a espinal medula , poderia funcionar, fez crescer uma nova esperança. Agora, uma nova etapa: os especialistas começam a conseguir objectivar as dores de cabeça frontais e as dores faciais, no nervo supra-orbital bem acima do olho.
 

 

O implante é de fácil colocação. Uma bateria fica sob a pele, na altura da clavícula, e um pequeno fio corre pelo pescoço até o couro cabeludo. São necessários dois implantes, caso a dor seja nos dois lados da cabeça. Um íman liga e desliga a corrente eléctrica. Desligada, a dor volta, mas o implante é vulnerável a equipamentos de segurança, como os existentes nos aeroportos, e deve ser desligado quando o paciente precisar de passar por eles.
 

 

A estimulação nervosa para dores de cabeça encontra-se ainda num estágio muito experimental. Mas já existem muitas empresas farmacêuticas interessadas na comercialização.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.