O desejo de comer

A fome e as emoções

05 março 2001
  |  Partilhar:

Um grupo de investigadores franceses realizou um estudo acerca do chamado "food craving", aqui denominado "fome impulsiva". Este fenómeno é definido como uma forte vontade ou desejo de comer um dado alimento ou tipo de alimento.
 

 

Este estudo contemplou 538 mulheres e 506 homens e envolveu um inquérito sobre os seus hábitos alimentares e períodos de "fome impulsiva", relacionando-os com o estado de espírito da pessoa na altura da ocorrência
 

destes desejos. As pessoas consideradas como sofrendo de "fome impulsiva" foram aquelas que sentiam um desejo forte de comer um tipo de comida pelo menos uma vez por semana, durante 6 meses. O relatório foi publicado na
 

edição de Março do International Journal of Eating Disorders.
 

 

Foram observadas mais de o dobro de ocorrências de "fome impulsiva" nas mulheres (28%) em relação aos homens (13%), disseram os investigadores. Afirmaram ainda que, apesar dos resultados não estarem correlacionados com o peso da pessoa, estavam fortemente relacionados com as preocupações de peso do inquirido.
 

 

Os inquiridos, em particular as mulheres, que sentiam "fome impulsiva" estavam mais vezes preocupados com dietas, restringiam a sua alimentação, tinham peso instável, sentiam-se mais frequentemente demasiado pesada(o)s e desejavam perder peso.
 

 

Um resultado interessante foi o facto de os investigadores terem descoberto diferenças na relação entre "fome impulsiva" e a disposição das pessoas, entre os dois sexos. A maioria das mulheres que sofria de "fome impulsiva" estavam mais deprimidas durante o dia e era uma disposição negativa, como um aborrecimento ou um estado deprimido, que despoletava o desejo de comer. Os homens sentiam esse apelo quando estavam bem dispostos.
 

 

Os investigadores afirmam poder haver várias explicações para este facto. Afirmaram que estas diferenças podem ser devido à maior preocupação da mulher com o seu peso e aparência. A pressão social para o emagrecimento
 

pode levar essas pessoas a restringirem a sua dieta para perderem peso. Como foi observado que este fenómeno estava relacionado com fenómenos de "fome impulsiva", esta pode ser uma explicação, dizem.
 

 

Outra explicação poderá ser a de que as mulheres tenham uma relação diferente entre estado de espírito e vontade de comer. No entanto estas relações são muito complexas e difíceis de entender, avisam os especialistas. Neste estudo a vontade de comer estava relacionada com um "desejo" e não uma "necessidade" o que mostra a forte influência de factores psicológicos nos hábitos alimentares.
 

 

Um outro dado relevante é que os sujeitos que afirmavam ter fome sentiam desejo de comer comidas salgadas (que pode significar que o organismo necessita de uma refeição) enquanto que outros afirmaram sentir desejo de comer coisas doces.
 

 

Adaptado por
 

Helder da Cunha Pereira
 

MNI - Médicos Na Internet
 

 

Fonte: Reuters

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.