Número de crianças vítimas de maus-tratos é preocupante

Declarações da ministra da Saúde

26 outubro 2009
  |  Partilhar:

O número de crianças vítimas de maus-tratos em Portugal é muito preocupante, revela a ministra da Saúde, Ana Jorge, defendendo a necessidade de mais recursos humanos especializados para acompanhar a situação.

 

No âmbito do “I Encontro Nacional da Rede de Núcleos da Acção de Saúde para Crianças e Jovens em Risco”, Ana Jorge afirmou à agência Lusa que “o número de crianças que estão em risco ou que são vítimas de maus-tratos e de que temos conhecimento, em geral, são a ponta do icebergue, porque, no fundo, são as situações muito dramáticas de grande risco e agressividade e, muitas vezes, por debaixo disto existem muitas crianças e famílias em risco".

 

Cerca de seis mil crianças foram abusadas sexualmente ou mal tratadas entre Janeiro de 2008 e Junho de 2009, segundo dados da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco. Apesar dos números serem "muito preocupantes”, a maior parte dos casos são identificados, pois há sinais que levam os profissionais a identificá-los, defendeu a ministra.

 

Sobre a necessidade de mais acções de sensibilização, Ana Jorge, refere que "aquilo que é importante sensibilizar são os outros sinais ainda sem evidência física dos maus-tratos". Na sua opinião, esta tarefa poderá ser desenvolvida “pelos profissionais que lidam com crianças, sejam eles educadores, professores, assistentes sociais, médicos, entre outros, e que possam ter esta sensibilidade e este conhecimento da identificação muito precoce".

 

Actualmente, existem cerca de 100 Núcleos da Acção de Saúde para Crianças e Jovens em Risco, espalhados por todo o país.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.