Novos dados sobre incontinência fecal

Estudo publicado pelo American Journal of Obstetrics and Gynecology

25 janeiro 2006
  |  Partilhar:

 

A incontinência fecal (IF) generalizou-se, afectando mulheres que tiveram muitos filhos, partos com ajuda de fórceps ou equipamentos de aspiração ou ainda que foram submetidas a histerectomias, refere um estudo recente.
 

 

O trabalho, publicado pela University of Michigan e realizado em coordenação com a University of Washington, EUA, envolveu 6.000 mulheres, entre os 30 e os 90 anos, embora a condição também afecte os homens.
 

 

O estudo identifica pela primeira vez a depressão séria como um dos factores de risco para a doença, que se caracteriza pela perda de sedimentos líquidos ou sólidos pelo menos uma vez por mês. Em alguns casos, a IF pode ser um factor que contribui para a depressão.
 

 

A IF pode ocorrer quando existem danos nos músculos do esfíncter ou cicatrizes no recto que impedem a retenção dos sedimentos. Essas cicatrizes podem ser causadas por colites ulcerosas, a doença de Crohn e também outras condições, diz o estudo, publicado na mais recente edição do American Journal of Obstetrics and Gynecology.
 

 

Outro dos factores pode ser o alargamento dos nervos que afectam o esfíncter, o que pode ocorrer durante o parto, por idade avançada, traumas ou devido a alguma doença que afecte o sistema nervoso.
 

 

MNI- Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.