Novo tratamento pode diminuir danos decorrentes do enfarte agudo do miocárdio e AVC

Estudo publicado na “Proceedings of the National Academy of Sciences”

21 abril 2011
  |  Partilhar:

Uma simples injecção poderá limitar os danos provocados pelos enfartes agudos do miocárdio e acidente vascular cerebral, dá conta um estudo publicado na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences”.
 

Para este estudo, os investigadores da University of Leicester, no Reino Unido, propuseram-se a identificar o mecanismo molecular responsável pela resposta inflamatória exacerbada que pode causar a destruição dos tecidos e órgãos após uma interrupção temporária do fluxo sanguíneo. Este fenómeno é conhecido por isquemia.
 

Na opinião dos autores do estudo, a limitação da resposta inflamatória nos tecidos privados de oxigénio poderia melhorar, drasticamente, os resultados e a sobrevivência após enfartes agudos do miocárdio ou acidentes vasculares cerebrais.
 

Os investigadores deste estudo, liderados por Wilhelm Schwaeble, identificaram uma enzima, a Mannan Binding Lectin-Associated Serine Protease-2 (MASP-2), que está presente no sangue e é um componente-chave da via da lectina, uma via envolvida na activação do sistema de complemento (um mecanismo envolvido na resposta imune inata).
 

Esta via é responsável pela resposta inflamatória devastadora que ocorre quando o fluxo sanguíneo dos tecidos ou órgãos é reposto, ou seja, logo a seguir a um processo isquémico. Esta resposta inflamatória exacerbada é, em parte, responsável pela morbidade e mortalidade associadas ao enfarte agudo do miocárdio e a acidentes vasculares cerebrais.
 

Os investigadores conseguiram também encontrar uma forma de neutralizar a MASP-2, através do desenvolvimento de um anticorpo dirigido contra a enzima. O estudo constatou que a administração de uma única dose do anticorpo foi suficiente para interromper o processo que conduz à destruição dos órgãos e tecidos após um evento isquémico, resultando assim em menores danos e resultados significativamente melhores.
 

Wilhelm Schwaeble revelou, em comunicado de imprensa, que os resultados obtidos são fascinantes: “esta nova e potencial terapia irá também melhorar os resultados de transplantes e pode ser utilizada para qualquer procedimento cirúrgico onde a viabilidade do tecido possa estar em risco devido a uma interrupção temporária do fluxo sanguíneo.”
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.