Novo método ultrarrápido deteta resistência a antibióticos

Estudo publicado na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS)”

11 agosto 2017
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores desenvolveu um novo método ultrarrápido de verificar a resistência de bactérias causadoras de infeções a antibióticos.
 
O novo método foi desenvolvido na Universidade de Uppsala, Suécia, e irá permitir identificar padrões de resistência bacteriana - Teste de Sensibilidade aos Antibióticos (TSA) – e proporcionar o tratamento adequado ao paciente.
 
A resistência das bactérias aos antibióticos é um problema médico cada vez maior e que está a ameaçar a saúde humana a uma escala global. O uso incorreto dos antibióticos é um fator importante que tem contribuído para a resistência bacteriana. 
 
Os testes existentes de suscetibilidade aos antibióticos demoram entre um a dois dias, sendo que naturalmente não será possível esperar esse tempo para escolher o antibiótico correto para tratar uma infeção bacteriana.
 
Os investigadores deste estudo desenvolveram o novo método de resistência aos antibióticos, cuja rapidez de atuação irá permitir que o paciente saia da instituição de saúde com o antibiótico correto. Este teste foi desenvolvido para as infeções urinárias, que todos os anos afetam certa de 100 milhões de mulheres globalmente.
 
Özden Baltekin, que foi responsável pela maioria do trabalho experimental neste estudo, explica como funciona este método: “desenvolvemos um novo método que permite a determinação de padrões de resistência bacteriana em infeções do trato urinário entre 10 a 30 minutos. Para fins de comparação, a determinação da resistência usada atualmente requer um a dois dias”.
 
Este teste rápido, batizado de "fASTest", baseia-se num chip microfluídico de plástico que isola as bactérias para analisar o crescimento, ou não, das mesmas. O método emprega técnicas óticas e analíticas de alta sensibilidade que foram desenvolvidas para analisar o comportamento de cada bactéria. 
 
A possibilidade de monitorizar as bactérias e verificar se crescem na presença de antibióticos ( se são resistentes), ou se não crescem (, se são suscetíveis), em apenas alguns minutos, poderá ser uma realidade em hospitais, clínicas e centros de saúde, daqui a apenas alguns anos, e erradicar o uso desnecessário de antibióticos. 
 
O método está agora a ser desenvolvido por uma empresa sueca para se transformar num produto de uso acessível e prático.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.