Novo método diagnostica precocemente morte súbita

Investigação espanhola combina estudo de ADN com o estudo cardiológico

10 maio 2011
  |  Partilhar:

Uma equipa multidisciplinar espanhola, das áreas da cardiologia e da genética clínica e molecular, desenvolveu um método de diagnóstico precoce do risco de morte súbita, que pode diminuir esta anomalia até 79% em menores de 35 anos, aponta um estudo citado pela agência Lusa.

 

O método usado - o estudo de ADN combinado com o estudo cardiológico por imagem - permite ainda reduzir a morte súbita em 55% dos casos em pessoas com mais de 35 anos.

 

O diagnóstico, de acordo com a Lusa, baseia-se na análise simultânea de 72 genes de doenças relacionadas com a morte súbita, como miocardiopatias e transtornos genéticos do ritmo cardíaco. Os especialistas da unidade de diagnóstico cardiológico avançado "Coração em ON" acreditam poder, assim, detectar o risco de morte súbita antes da manifestação dos primeiros sintomas.

 

A Fundação Grupo ERESA, direccionada em Espanha para a investigação médica e que patrocina o projecto, lembra que a esmagadora maioria dos casos de morte súbita deve-se a uma doença cardíaca. Metade das patologias cardíacas são de origem genética e constituem a maior parte dos casos de morte súbita em menores de 35 anos. Para os peritos, a detecção no doente de uma mutação genética permitir-lhes-á estabelecer medidas terapêuticas ou preventivas.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.