Novo fármaco eficaz na colite ulcerosa e Crohn

Estudo publicado na “New England Journal of Medicine”

26 agosto 2013
  |  Partilhar:

Um novo fármaco que está a ser desenvolvido para o tratamento da colite ulcerosa e doença de Crohn tem demonstrado resultados muito positivos em ensaios.

 

A colite ulcerosa e a doença de Crohn são doenças inflamatórias autoimunes que afetam o intestino delgado e cólon e surgem quando o sistema imunitário desencadeia um ataque no revestimento do trato digestivo, provocando inflamação crónica e sintomas como dor abdominal, diarreia e hemorragia retal.

 

Denominado vedolizumab, o novo fármaco demonstrou ser eficiente nas duas doenças, particularmente em pacientes com colite ulcerosa. O estudo sobre o fármaco foi conduzido sobre 895 pacientes com colite ulcerosa, de 34 países, e 1155 pacientes com a doença de Crohn, de 39 países. Os participantes tinham entre 18 e 80 anos de idade e foram acompanhados durante 52 semanas.

 

Os pacientes com colite ulcerosa receberam infusões com vedolizumab ou um placebo, com duas semanas de intervalo. Seis semanas mais tarde, 47% dos pacientes começaram a sentir melhorias significativas nos sintomas. Esses pacientes ficaram depois aleatoriamente a receber o fármaco ou o placebo. Um ano mais tarde, o fármaco vedolizumab tinha provocado a remissão em 42 a 45% dos pacientes. Do grupo que tinha recebido o placebo, 16% de pacientes estava em remissão.

 

Relativamente ao grupo com a doença de Crohn, os resultados não foram tão positivos, com apenas 31% dos pacientes responder clinicamente ao fármaco vedolizumab após seis semanas de tratamento. Dos pacientes que continuaram a receber o fármaco, 36 a 39% estavam em remissão após um ano, comparativamente aos 22% dos pacientes com o placebo.

 

Não se sabe exatamente a razão pela qual o grupo de paciente com colite ulcerosa revelou uma melhor resposta clínica do que o da doença de Crohn. Uma hipótese colocada pelos investigadores é o facto de as pessoas com Crohn necessitarem de mais tempo para darem uma resposta inicial ao fármaco.

 

No entanto, William Sandborn, investigador principal neste estudo, afirma que estes resultados oferecem uma nova esperança a quem sofre destas doenças e não responde aos tratamentos disponíveis atualmente. O fármaco vedolizumab atua sobre o sistema digestivo, não afetando outras áreas do corpo e ajuda a reduzir os efeitos secundários causados por outros tratamentos como aumento de peso, náuseas e dores de cabeça. Os tratamentos atuais, como esteroides e medicamentos imunodepressores, suprimem grandemente o sistema imunitário, podendo colocar o paciente em risco de infeção.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 2Média: 4.5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.