Novo dispositivo para tratar enxaqueca mostra-se promissor

Estudo publicado na revista “Neurology”

07 março 2017
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores desenvolveu, através de uma empresa eletrónica de terapêutica, um dispositivo que bloqueia significativamente a dor provocada pela enxaqueca.
 
Os investigadores David Yarnitsky da Faculdade de Medicina Technion em Haifa, Israel, e colegas consideram que o novo dispositivo, um adesivo sem fios que emprega estimulação elétrica para bloquear os sinais da dor para o cérebro, poderá vir a substituir os fármacos usados para tratar a enxaqueca.
 
O dispositivo, denominado Nerivio, consiste numa braçadeira, elétrodos de borracha e um chip. O dispositivo sem fios é ligado a uma aplicação num smartphone, a qual controla os impulsos elétricos que irão estimular por sua vez os nervos sensoriais subcutâneos. 
 
Para o estudo, os investigadores recrutaram 71 adultos que sofriam de enxaqueca episódica, que reportavam ter uma média de dois a oito ataques de enxaqueca mensais. Os participantes não tinham tomado qualquer medicação para prevenir a enxaqueca pelo menos dois meses antes do início do estudo.
 
Os participantes foram divididos em dois grupos de tratamento. Um grupo recebeu tratamento com o adesivo de estimulação elétrica, enquanto o outro grupo recebeu um tratamento de estimulação placebo.
 
Assim que os participantes começaram a ter um ataque de enxaqueca, foram instruídos a aplicar o adesivo ou o dispositivo de estimulação placebo no antebraço. Cada tratamento durou 20 minutos e foram testados diversos níveis de estimulação. 
 
Foi observado que 64% dos participantes tratados com os três níveis mais elevados de estimulação com o adesivo Nerivio sentiram uma redução de mais de 50% na dor provocada pela enxaqueca nas duas horas a seguir ao tratamento. Os participantes do grupo do placebo apenas sentiram 26% de redução na dor.
 
Quando foi aplicado o nível mais alto de estimulação do adesivo a casos de enxaqueca moderada a severa, a dor provocada pela enxaqueca desapareceu ou diminuiu de intensidade para ligeira, em 58% dos participantes, em comparação com apenas 24% do grupo do placebo.
 
O tratamento revelou-se mais eficiente quando iniciado no espaço de 20 minutos após o começo da enxaqueca, com 47% de redução na dor, comparativamente a apenas 25% quando iniciado 20 minutos após o ataque.
 
Segundo David Yarnitsky, o adesivo Nerivio produz resultados “semelhantes à dos medicamentos do grupo dos triptanos para a enxaqueca”. Mais estudos são necessários para confirmar os resultados encontrados.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Image CAPTCHA
Enter the characters shown in the image.