Novo dispositivo acelera diagnóstico de infeções

Estudo publicado na revista “Science Advances”

09 setembro 2015
  |  Partilhar:
Investigadores americanos desenvolveram um novo dispositivo de diagnóstico que pode reduzir significativamente o tempo necessário para diagnosticar infeções nos tecidos, revela um estudo publicado na revista “Science Advances”. 
 
Quando um paciente chega a um hospital com uma infeção grave, os médicos têm poucos e preciosos minutos para fazer um diagnóstico preciso e prescrever o tratamento adequado. A capacidade de os médicos agirem rápida e corretamente não só influencia os resultados dos pacientes, como também determina se a infeção se dissemina a outros pacientes, podendo até contribuir para o desenvolvimento de bactérias resistentes aos fármacos.
 
Os agentes patogénicos e as doenças infeciosas são tipicamente detetadas utilizando uma técnica chamada reação em cadeia da polimerase (PCR, sigla em inglês), que envolve ciclo de arrefecimento e aquecimento e que resulta na amplificação de moléculas do ADN alvo. O problema é que a maioria destes testes pode demorar uma hora ou mais, e o médico tem normalmente menos de dez minutos para tomar uma decisão.
 
O dispositivo inventado, denominado DOTS qPCR, baseia-se na medição de alterações subtis na tensão superficial da interface de uma gota de água em suspensão com um óleo. A gota de água, que contem o ADN alvo a ser amplificado, é movido ao longo de um gradiente de calor no óleo para dar início à reação de amplificação. 
 
À medida que as cópias de ADN são produzidas, estas movem-se em direção à interface óleo-água resultando em alterações mensuráveis na superfície de tensão. Surpreendentemente, o tamanho da gota pode ser medido através de uma câmara de um smartphone, podendo o curso da reação ser observado em tempo real.
 
Para além de ser um método de diagnóstico mais rápido, o sistema não necessita de amostras sem quaisquer contaminantes, o que pode diminuir bastante o tempo de preparação das amostras. 
 
Jeong-Yeol Yoon, um dos autores do estudo, refere ainda que o DOTS qPCR é económico comparativamente com as outras soluções, que utilizam métodos dispendiosos e que demoram bastante tempo. “É fácil de utilizar, integrado num smartphone e economiza dinheiro e equipamento laboratorial dispendioso”, acrescentou o investigador.
 
O DOTS qPCR tem também grandes implicações na investigação biológica, onde o PCR é uma ferramenta indispensável para estudar desde doenças hereditárias até à árvore evolutiva. Em última instância, os investigadores esperam que esta nova tecnologia transforme as salas de operações das urgências, onde poupar tempo de diagnóstico se traduz em salvar vidas.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.