Novo contraceptivo em adesivo

Tão eficaz e seguro como a pílula

11 maio 2001
  |  Partilhar:

O primeiro contraceptivo do Mundo em adesivo, para colocar sobre a pele, aguarda aprovação do governo dos Estados Unidos da América. Promete ser tão seguro e eficaz quanto a pílula, para além de ser fácil relembrar a sua aplicação durante o ciclo menstrual.
 

 

Um estudo realizado sobre este inovador adesivo foi publicado no “Wednesday Journal of the American Medical Association” onde se incluía a aprovação dada pela Food and Drug Administration dada ao fabricante com a data de Dezembro último.
 

 

Este adesivo com hormonas, tem a dimensão de uma carteira de fósforos e liberta níveis contínuos de estrogénios e progesterona, tal como as pílulas contraceptivas, impedindo assim a ovulação. Pode ser aplicado sobre a pele do abdómen, ou nas nádegas.
 

 

Por cada ciclo menstrual são apenas necessários três adesivos, um por cada semana. Á quarta semana surge o período menstrual.
 

 

O estudo sugere que o adesivo Ortho Evra vem oferecer “uma nova forma de contracepção eficaz e reversível”, como afirma o Dr. Paul Blumenthal, investigador do Hospital Universitário Johns Hopkins, mas que não colaborou na investigação.
 

 

Este estudo comparou resultados de 812 mulheres que utilizaram o adesivo com 605 mulheres que tomavam a pílula como método contraceptivo, ao longo de pelo menos 6 ciclos menstruais.
 

 

Cinco das mulheres que usaram o adesivo ficaram grávidas, e sete das mulheres que tomavam a pílula engravidaram, embora esta diferença não seja classificada como significativa. A percentagem de ciclos em que houve uma perfeita utilização do método contraceptivo utilizado foi de 90% para o adesivo e de 80% para a pílula.
 

 

“Estes dados mais favoráveis quanto à utilização do adesivo como contraceptivo, podem ser devidos ao facto da sua aplicação ser apenas semestral”, afirmam os investigadores.
 

 

Cerca de 20% das utilizadoras do adesivo tiveram fenómenos de irritação cutânea no local da aplicação. Os outros efeitos secundários comuns, como cefaleias, náuseas ou tumefacção mamária, foram ligeiramente menos incidentes do que com a toma da pílula.
 

 

A aprovação do governo Americano ao adesivo fabricado pela Johnson & Johnson´s Ortho-McNeil Pharmaceutical Incorporated, deverá no entanto demorar cerca de um ano. A companhia pediu também a aprovação para comercialização na Europa.
 

 

 

Fonte: CNN
 

 

Adaptado por:
 

David Ferreira
 

MNI - Médicos na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.