Novo composto oferece proteção sem precedentes contra a radiação UVA

Estudo publicado no “Journal of Investigative Dermatology”

26 julho 2016
  |  Partilhar:

Investigadores do Reino Unido desenvolveram um composto que oferece uma proteção sem precedentes contra os efeitos prejudicais da radiação ultravioleta A (UVA) da luz solar que incluem fotoenvelhecimento, danos celulares e cancro, revela um estudo publicado no “Journal of Investigative Dermatology”.
 

A maioria dos protetores solares que se encontram no mercado protegem bem contra a radiação ultravioleta B (UVB), mas apresentam uma eficácia limitada contra os danos induzidos pela UVA.
 

Contudo, este novo composto desenvolvido pelos investigadores Universidade de Bath e do King's College London, no Reino Unido, oferece uma proteção precisamente onde ocorrem os danos provocados pela radiação UVA na célula, não interferindo com o resto da mesma.
 

A concentração de ferro livre é particularmente elevada na mitocôndria, as baterias das células, a qual é necessária para várias funções vitais. Contudo, após a exposição aos raios UVA, o ferro livre em excesso atua como um catalisador para a produção de espécies reativas de oxigénio tóxicas que danificam o ADN, tecido adiposo e proteínas, aumentando consequentemente o risco de morte celular e cancro.
 

Contudo, o novo composto move-se diretamente para a mitocôndria, onde se liga com segurança ao excesso de ferro livre, impedindo que este reaja após a exposição aos raios UVA. Testes realizados em células de fibroblasto da pele humana exposta à radiação UVA equivalente a 140 minutos de exposição solar ininterrupta ao nível do mar, demonstrou que as células tratadas com o composto estavam completamente protegidas da morte celular. As células não tratadas sofreram morte celular significativa.
 

Charareh Pourzand, uma das autoras do estudo, refere que o papel dos danos mediados pelo ferro após a exposição das células da pele às radiações UVA tem sido subestimado ao longo de vários anos.
 

“O nosso composto, que tem por alvo a mitocôndria, fornece uma solução para este problema e pode dar resposta uma necessidade por satisfazer na área dos cuidados da pele e protetores solares”, refere, em comunicado de imprensa, a investigadora.
 

Os investigadores esperam que o novo composto seja adicionado aos protetores solares e aos produtos de cuidado da pele nos próximos três a quatro anos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.