Novo aparelho de Ressonância Magnética mais espaçoso minimiza claustrofobia

Estudo publicado na revista “Nature”

13 março 2009
  |  Partilhar:

Um novo equipamento destinado ao exame de ressonância magnética foi desenvolvido por uma equipa da Universidade de Zurique, Suíça, e promete tornar menos claustrofóbico para o paciente o espaço dentro da máquina. O estudo foi publicado na revista “Nature”.

 

Investigadores, liderados por David O. Brunner, desenvolveram um novo modo de transmitir e receber ondas de rádio, essencial para a obtenção de imagens a uma distância mais longa que a normal, graças à instalação de um sistema condutor especial no interior da máquina.

 

A nova tecnologia deverá permitir realizar exames completos dentro de um espaço com 90 cm de diâmetro, o que certamente irá evitar os problemas de claustrofobia, além de abrir caminho para um possível aumento da precisão dos exames.

 

Os aparelhos de ressonância magnética usam campos magnéticos com intensidades cada vez maiores para aumentar a sensibilidade e a resolução das imagens. Contudo, para que isso funcione, o espaço entre o aparelho e o paciente é cada vez mais reduzido, um dos principais factores que conduzem à rejeição deste tipo de exames por alguns doentes.

 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.