Nova vacina contra a perda de tecido ósseo

Resultados preliminares são muito promissores na luta contra doenças como a osteoporose

16 outubro 2001
  |  Partilhar:

Uma empresa farmacêutica dinamarquesa sediada em Horsholm, apresentou, no 23º encontro anual da American Society for Bone and Mineral Research, os resultados dos primeiros ensaios experimentais, realizados em ratos, de uma nova vacina que, potencialmente, pode ser uma arma eficaz contra as doenças ósseas como a osteoporose e a artrite reumatóide.
 

 

Os primeiros ensaios experimentais foram realizados por dois investigadores japoneses, Takuo Juji e Sakae Tanaka, da Universidade de Tóquio, em colaboração com um dos responsáveis pelo desenvolvimento da nova vacina, Marc Hertz.
 

 

Nestes ensaios, os investigadores utilizaram dois grupos de ratos com osteopatias (doenças do tecido ósseo), nomeadamente osteoporose e artrite reumatóide. A um dos grupos foi administrada a nova vacina e ao outro grupo uma vacina-controlo. A administração das duas vacinas foi feita quinzenalmente e por um período de dois meses.
 

 

Os exames realizados aos dois grupos de ratos revelaram que esta vacina promove a destruição dos osteoclastos (células responsáveis pela destruição natural do tecido ósseo) à superfície dos ossos, assim como a diminuição da reabsorção e consequente perda de tecido ósseo. Já em estudos anteriores, os dois investigadores japoneses tinham mostrado que esta vacina reduz consideravelmente os sintomas da artrite reumatóide e da osteoporose.
 

 

Como actua esta vacina?
 

 

Muitas doenças crónicas são causadas ou estão associadas à «super-produção» de determinadas proteínas. Como estas proteínas são substâncias próprias do organismo, o sistema imunológico não as identifica como patogénicas (não-próprias) e, consequentemente, não desencadeia qualquer tipo de mecanismo defensivo contra a quantidade excessiva dessas proteínas.
 

 

Na osteoporose e outras doenças caracterizadas pela perda de tecido ósseo como a artrite reumatóide e as metastases ósseas, o organismo produz quantidades excessivas de RANKL, uma proteína cuja acção fomenta a aceleração da taxa de reabsorção óssea, isto é: promove o aumento da destruição de tecido ósseo.
 

 

Esta nova vacina actua estimulando o sistema imunológico a destruir o excesso de RANKL produzido pelo organismo, combatendo dessa forma a destruição anormalmente rápida do tecido ósseo. Ou seja, a vacina induz a produção de anticorpos que destroem a RANKL, que é produzida em excesso neste tipo de osteopatias.
 

 

Esperanças no combate à osteoporose
 

 

Os investigadores envolvidos nestes primeiros ensaios em ratos mostram-se bastante optimistas na aplicação desta vacina no combate da osteoporose.
 

 

Os resultados destes primeiros ensaios experimentais mostraram que o grupo de ratos osteoporóticos que não receberam a nova vacina apresentaram uma perda média de 16% na densidade óssea (a densidade óssea é o parâmetro utilizado para medir a preservação de tecido ósseo). Por seu turno, a administração da vacina protegeu os outros ratos contra a perda de tecido ósseo pelo que neste grupo não se verificou qualquer redução naquele parâmetro. O número de osteoclastos nos ratos não tratados aumentou cerca de 2,3 vezes relativamente às contagens normais enquanto que os ratos tratados apresentaram contagens osteoclásticas normais.
 

 

Nos ratos com artrite reumatóide também se verificou uma redução da inflamação das articulações (cerca de 40%) comparativamente ao grupo controlo. A contagem osteoclástica também foi consideravelmente reduzida (aproximadamente 60%) mas os resultados mais estimulantes neste grupo foi, sem dúvida, a redução de cerca de 80% da reabsorção óssea associada a esta doença. Estes resultados são particularmente significativos quando a perda de tecido ósseo associada à artrite reumatóide agrava de uma forma muito severa os efeitos degenerativos e incapacitantes desta doença.
 

 

De acordo com a empresa, estes resultados sustentam a utilização desta vacina no tratamento das doenças ósseas caracterizadas por desordens ao nível da reabsorção do tecido ósseo como a osteoporose, a artrite reumatóide e metastases ósseas.
 

 

Para quando a «versão humana» desta vacina?
 

 

O programa de desenvolvimento desta vacina ainda se encontra numa fase muito preliminar mas a empresa dinamarquesa espera que os primeiros ensaios clínicos em doentes com estes tipos de osteopatias tenham início em 2003.
 

 

O primeiro objectivo destes ensaios será avaliar a segurança da vacina. Outros objectivos dos ensaios em humanos é, por um lado, observar o modo como a vacina induz a produção de anticorpos contra a proteína RANKL produzida em excesso e, por outro, fazer uma avaliação preliminar da eficácia deste tipo de tratamento.
 

 

No entanto, é preciso não esquecer que o importante é mesmo prevenir e combater a diminuição de tecido ósseo através da ingestão de cálcio. E a melhor maneira de o fazer já sabe qual é: beber leite. Pelo menos três copos por dia. Se não gosta, faça o esforço porque vale a pena preservar a sua qualidade de vida.
 

 

Joaquina Pereira
 

MNI – Médicos na Internet

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 2
Comentários 2 Comentar

Osteoporose /!Artrose.

Gostaria de saber se já está disponível para compra esta vacina.
Abraços,
Daisy
(21)998347444

osteoporose

Já se pode tomar essa vacina?
Aonde encontrar?
Desejo orientação.

sds

Angela Carnaval
Tel 021 3805-3850
99982-2000

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.