Nova técnica poderá reduzir significativamente biópsias à mama

Estudo publicado na revista “Radiology”

14 dezembro 2018
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores desenvolveu uma nova técnica que emprega mamografia para determinar a composição biológica de tecido tumoral mamário, o que poderá reduzir substancialmente as biópsias.
 
“O índice de solicitações de retorno é muito maior do que o ideal”, afirmou Karen Drukker, investigadora no Departamento de Radiologia da Universidade de Chicago, EUA, e primeira autora do estudo relativo ao desenvolvimento da nova técnica.
 
“Há custos e ansiedade associados às solicitações de retorno e o nosso objetivo é reduzir esses custos, mas não falhar em nada que necessite de biópsia”, acrescentou. 
 
A técnica desenvolvida foi denominada “three-compartment breast imaging” (imagem de três compartimentos da mama, literalmente), abreviado como 3CB. 
 
Com a técnica 3CB é medida a água, lípidos e proteínas dos tecidos na mama, podendo-se obter uma assinatura biológica tumoral. Os autores deram como exemplo que a presença de mais água no tecido tumoral poderá indicar angiogénese, ou a produção de novos vasos sanguíneos, um sinal precoce do desenvolvimento de cancro.
 
Para o estudo, a equipa recolheu mamografias por dupla energia a 109 mulheres com nódulos mamários suspeitos ou muito sugestivos de malignidade, casos que normalmente são sujeitos a biópsia. As mamografias foram efetuadas imediatamente antes das biópsias, as quais indicaram que 35 dos nódulos eram cancros invasivos e 74 eram benignos.
 
As imagens 3CB foram derivadas das mamografias por dupla energia e analisadas juntamente com radiómica de mamografia, um método que emprega algoritmos de inteligência artificial para analisar características e padrões em imagens, alguns dos quais são de difícil perceção humana. 
 
A combinação dos dois métodos melhorou o valor prognosticador que era de 32% apenas com interpretação visual, para quase 50%, com uma redução de quase 36% nas biópsias. O método 3CB com radiómica apenas não detetou um dos 35 cancros, o que equivale a um índice de sensibilidade de 97%. 
 
Karen Drukker explicou que a 3CB pode facilmente acompanhar as mamografias, sem necessidade de muitas alterações ao equipamento existente e exige apenas uma dose adicional de radiação de 10%. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar