Nova técnica detecta Alzheimer em estado precoce

Estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences

01 março 2006
  |  Partilhar:

 

Investigadores da University of California, em Los Angeles, EUA, desenvolveram um modo de identificar a perda de receptores-chave no tecido cerebral causada pelos estados iniciais da doença de Alzheimer.
 

 

Um estudo, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, dá conta do uso de uma técnica que combina a utilização de um marcador químico e uma sofisticada tecnologia de exame.
 

 

Os cientistas concentraram-se em medir a densidade de um tipo específico de receptor que responde à substância química serotonina. Esses receptores são normalmente encontrados, numa densidade particularmente alta, nas células do hipocampo que são mais vulneráveis aos efeitos provocados pela doença de Alzheimer.
 

 

O estudo registou uma queda na densidade do receptor no hipocampo – e noutros importantes centros da memória – em 49% dos pacientes com Alzheimer. Mas também se verificou uma quebra semelhante em 24% dos pacientes com sintomas leves de função cerebral prejudicada, que poderiam estar nos estados iniciais de desenvolvimento da doença. “Um hipocampo em processo de encolhimento é um sinal típico de Alzheimer e esse novo marcador poderá dar-nos uma estratégia útil para a detecção precoce e um tratamento mais eficaz”, explica o líder da investigação Gary Small.
 

 

Fonte: Lusa
 

Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.