Nova receita não facilita acesso dos doentes nem controla gastos

Ordem dos Médicos apresenta balanço dos últimos três messes

08 abril 2003
  |  Partilhar:

A Ordem dos Médicos (OM) considerou hoje que o novo modelo de receita médica adoptado há três meses é uma «falácia», por não facilitar o acesso dos doentes aos medicamentos nem controlar os custos com a prescrição.
 

 

Em conferência de imprensa convocada para fazer um balanço da aplicação do novo modelo de receita médica, que entrou em vigor a 01 de Janeiro, o colégio da especialidade de Medicina Geral e Familiar da OM concluiu que «aumentou o número de vezes que os doentes têm de ir à consulta».
 

 

Esta situação, diz a OM, deve-se ao facto de o novo modelo permitir apenas receitar quatro medicamentos em simultâneo, enquanto no anterior era possível prescrever seis, e por a receita renovável - que permite a duplicação da prescrição para quando o doente necessitar de continuar a medicação - não estar ainda disponível no Sul e grande parte do Norte e Centro do país.
 

 

Os clínicos gerais criticam, também, o «aumento desnecessário, absurdo» de informações que os médicos têm de colocar na receita, como o número de telefone do doente.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.