Nova prótese computorizada

Um potente microprocessador permite um andar quase natural

26 abril 2001
  |  Partilhar:

A prótese “C-Leg” permite, após uma amputação ao nível da coxa, um andar quase natural com um alto grau de segurança. Esta prótese permite até andar de bicicleta e de patins. Isto só é possível através do uso de um microprocessador que controla o joelho artificial.
 

 

Esta tecnologia de ponta tem no entanto um preço: 40 000 DM (aproximadamente 4 100 contos) e é comercializada pela empresa “Otto Bock Healthcare” de Duderstadt (Alemanha). Já há mais de 1200 pessoas em todo o mundo a usar esta “perna artificial”.
 

 

No C-Leg, um microprocessador controla, cinquenta vezes por segundo, através de sensores, a que fase do movimento em que se encontra a prótese. Com estes dados, o computador regula a função do joelho artificial através de um sistema hidráulico.
 

 

Segundo o Dr. Hartmut Stinus, ortopedista alemão, “ Os vários sensores regulam o amortecimento da hidráulica em tempo real, a cada fase do andar.” O risco de escorregar ou de claudicação do membro é praticamente nulo, afirma ainda Stinus.
 

 

Os pacientes conseguem assim movimentar-se com normalidade no seu dia-a-dia, sem terem que se concentrar a cada passo que dão.
 

 

A prótese é colocada por um ortopedista que terá de adaptar o software à forma de andar de cada um. Esta perna artificial está especialmente indicada para as pessoas que apresentam deficiências físicas no membro contra-lateral.
 

 

Fonte: Ärzte Zeitung Online
 

 

Adaptado por:
 

David Ferreira
 

MNI - Médicos na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.