Nova profilaxia eficaz durante a amamentação de mães seropositivas

Estudo publicado na revista “Lancet Infectious Diseases”

03 maio 2011
  |  Partilhar:

Um estudo internacional, avaliado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), aponta para uma profilaxia mais eficaz, que reduz as infecções por VIH (vírus causador da sida) em bebés, em 43%, em comparação  as actuais recomendações da OMS. Foi também avaliado, pela primeira vez, o papel dos anti-retrovirais durante o período da amamentação. As novas orientações foram publicadas no sítio da OMS e na revista “Lancet Infectious Diseases”.

 

Até ao momento, as orientações da OMS propõem o uso de terapia com zidovudina durante a gravidez, combinada com uma dose única de nevirapina. Este estudo, denominado Kesho Bora propõe a combinação de três medicamentos anti-retrovirais: zidovudina, lamivudina e lopinavir ou ritonavir. 

 

O estudo Kesho Bora ("Um futuro melhor") verificou que dar às mães seropositivas uma combinação de três medicamentos anti-retrovirais durante a gravidez, parto e amamentação reduz as infecções pelo VIH em recém-nascidos em 43% até a idade de um ano e reduz transmissões durante a amamentação em 54%, comparado com o regime anteriormente recomendado que parava no momento do parto. O balanço de riscos e benefícios do uso de anti-retrovirais durante a amamentação não era conhecido antes deste estudo.

 

Esta nova alternativa terapêutica consiste na administração de três anti-retrovirais entre 28 e 36 semanas de gestação e até o sexto mês de amamentação, enquanto com a opção anterior apenas eram administradas durante a gravidez. A equipa de investigação analisou a eficácia desses fármacos num grupo de 800 mulheres no Burkina Faso, Quénia e África do Sul, as quais foram divididas aleatoriamente para receberem a opção de tratamento tradicional ou o novo método terapêutico.

 

Esta nova abordagem oferece uma nova esperança para as mães seropositivas que não podem, com segurança, alimentar os seus bebés com leite materno. As probabilidades de as crianças permaneceram saudáveis e livres de infecção pelo VIH com o leite materno - que fornece uma nutrição óptima e protege contra outras doenças infantis fatais, tais como pneumonia e diarreia – vão melhorar.

 

Dando às mulheres seropositivas grávidas (e às que planeiam uma gravidez) acesso prioritário à medicação ajudará a eliminar a transmissão do VIH de mãe para filho.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.