Nova medicação promissora para Parkinson

Tratamento aprovado pela Food and Drug Administration

23 abril 2015
  |  Partilhar:
Um novo tratamento que foi aprovado para os sintomas da doença de Parkinson demonstrou resultados bastante promissores.
 
O tratamento desenvolvido pelo Instituto de Neurociências de Kentucky, EUA, em colaboração com uma equipa de investigadores internacionais, consiste em dosagens continuadas de levodopa usando um gel chamado CLES (Duopa®) que é aplicado diretamente no intestino delgado através de uma bomba de infusão portátil.
 
A eficácia do CLES deve-se em parte ao facto de ser possível obter concentrações plasmáticas de levodopa mais estáveis através da aplicação direta no intestino delgado, evitando assim erros de esvaziamento gástrico e de absorção causados pela reduzida função muscular típica da doença de Parkinson.
 
“Estamos extremamente satisfeitos com os resultados (...) Os pacientes com doença de Parkinson avançada tratados através deste novo método demonstraram melhorias visíveis nas oscilações dos sintomas com uma redução na discinesia”, explica John Slevin, docente de neurologia e vice-presidente do instituto.
 
“O CLES tem o potencial de dar resposta a uma necessidade considerável que ainda não tinha sido satisfeita nesta camada populacional que possui opções limitadas de tratamento”, explica. 
 
Marion Cox, um agricultor de 70 anos com a doença de Parkinson há 16 anos, participou no ensaio clínico do novo tratamento durante um período de três anos e considera que melhorou os sintomas da doença.
 
O agricultor sentia que, apesar dos constantes ajustes à medicação para os sintomas da doença, esta não estava a surtir resultado. Marion Cox começou a ter dificuldades em falar, engolir e a sentir-se incapaz de usufruir de momentos em família, sentindo frustração.
 
Com o novo ensaio, “senti-me diferente imediatamente”. O agricultor diz que agora pode movimentar-se e vestir-se com mais facilidade e passar o dia a tratar da sua quinta de 300 hectares. “Consigo fazer mais. Não sou estou tão bem como antigamente [antes de ter Parkinson] mas estou bastante bem”, adianta ainda.
 
Apesar de existirem vários tratamentos para os sintomas da Parkinson, os problemas motores causados pela doença são o grande problema para um tratamento eficaz já que os músculos que controlam a digestão também são afetados, fazendo com que a dosagem seja um problema, tanto em termos de quantidade como de tempo.
 
A medicação perde igualmente a eficácia ao longo do tempo, à medida que progride a morte celular. Apesar da levodopa ser o medicamento de excelência utilizado para controlar os problemas motores da doença, após quatro a seis anos de tratamento 40 a 60% dos pacientes consideram que a medicação se torna menos eficaz.
 
O CLES foi aprovado pela agência reguladora norte-americana FDA (Food and Drug Administration) em janeiro de 2015 e poderá estar já disponível para uso geral entre quatro a seis meses.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.