Nova geração de antibióticos?

Estudo publicado nos “Proceedings of the National Academy of Sciences”

28 março 2014
  |  Partilhar:

Investigadores alemães defendem que pequenos peptídeos, capazes de atacar as bactérias de diferentes formas, podem estar na base de uma nova geração de antibióticos, dá conta um estudo publicado nos “Proceedings of the National Academy of Sciences”.

 

Os investigadores da Ruhr University Bochum, na Alemanha, demonstraram como os antibióticos podem ser desenvolvidos para atacar as células bacterianas sem danificar as dos humanos, dificultando também a resistência dos agentes patogénicos a antibióticos.

 

Os autores deste estudo têm vindo a focar a sua atenção num peptídeo denominado por MP196, que é constituído por quatro a dez aminoácidos. Estudos anteriores já tinham constatado que o MP196 era capaz de combater várias bactérias, incluindo algumas resistentes a vários fármacos. Contudo, não se sabia qual o modo de atuação deste peptídeo.

 

Neste estudo foi demonstrado que o MP196 interfere com as membranas celulares das bactérias, afetando consequentemente dois processos celulares, a biossíntese da parede celular e a respiração celular. Ao interferir com a biossíntese da parede celular, o MP196 enfraquece a integridade física da célula bacteriana. Por outro lado, ao interferir com a respiração celular, a produção de ATP (molécula que armazena energia) também é afetada. Consequentemente a célula bacteriana fica também com menor capacidade de produzir moléculas necessárias para o seu crescimento e proliferação.

 

Devido à natureza destas alterações, na opinião dos investigadores, é difícil as bactérias desenvolverem resistência a peptídeos como o MP196.

 

Com base nestes achados, os autores do estudo acreditam que o MP196 pode funcionar como ponto de partida para o desenvolvimento de novos fármacos capazes de atacar determinadas estirpes bacterianas sem danificar as células humanas. Na verdade para atacar a membrana das células bacterianas, o MP196 necessita da presença de determinados ácidos gordos que apenas estão presentes nas bactérias.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.