Nova esperança para a Esclerose múltipla

Investigadores descobrem «células traidoras»

04 março 2005
  |  Partilhar:

 

 

Investigadores da Universidade de Zurique conseguiram identificar «células traidoras» que provocam a esclerose múltipla ao induzirem o sistema imunitário a atacar o sistema nervoso central.
 

 

Trata-se de uma categoria especial de glóbulos brancos, localizados na barreira hemato-encefálica e capazes de reconhecer estruturas do cérebro que «denunciam» ao sistema imunitário como «corpos estranhos», levando-o a combatê-las. Daí resultam inflamações do cérebro e da espinal medula que levam a uma paralisia progressiva.
 

 

Os neuro-imunologistas de Zurique rejeitam por isso a teoria largamente seguida de que são células do cérebro as que agem como «traidoras», precisa um comunicado da Universidade de Zurique.
 

 

Com esta descoberta, os investigadores suíços deram um passo decisivo na luta contra a esclerose múltipla, também conhecida como «esclerose em placas», e outras doenças neurológicas como Alzheimer e os tumores do cérebro. A etapa seguinte da investigação será manipular aquelas células para que o sistema imunitário deixe de se voltar contra o sistema nervoso central. O estudo destes investigadores vem publicado na revista Nature Medicine.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.