Nova esperança no tratamento da Depressão

Estudo apresentado na Nature Neurosciences

26 setembro 2006
  |  Partilhar:

Investigadores franceses do Faculté de Médecine da l''Université de Nice, França, poderão ter aberto caminho a novas formas de tratamento da Depressão ao descobrirem que a supressão de um gene torna os ratinhos resistentes à doença, segundo um novo estudo publicado na última edição da revista norte-americana Nature Neurosciences. "Quando submetidos a condições semelhantes às da Depressão humana, ratinhos aos quais retirámos um gene resistem ao stress como se estivessem sob os efeitos de um antidepressivo", explicou Michel Lazdunski, chefe da equipa de investigadores. Entre os testes mais significativos, os investigadores observaram que um ratinho posto em estado de Depressão e mergulhado na água, um elemento de que não gosta, acaba por resignar-se, imobilizando-se. Porém, ratinhos sob antidepressivos ou aos quais foi retirado um gene continuam a lutar. O gene em causa corresponde ao canal iónico TREK-1, existente em todas as regiões do cérebro envolvidas na Depressão. Esta é uma pista que não deverá ser ignorada pelos laboratórios farmacêuticos, sendo que o mercado dos antidepressivos representa actualmente "pelo menos 10 mil milhões de euros em todo o mundo". Fontes: Lusa e Imprensa Internacional MNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 1 Comentar