Nova abordagem para anti-retroviral nevirapine no pós-parto

Estudo publicado no New England Journal of Medicine

16 janeiro 2007
  |  Partilhar:

 

Um estudo, publicado na New England Journal of Medicine (NEJM), refere que se for adiado por seis meses, o tratamento das mulheres seropositivas depois do parto com o anti-retroviral nevirapine, desenvolvem uma menor resistência a esta classe de fármacos.
 

 

O estudo revelou que as mulheres que tomam uma dose de nevirapine durante o parto e esperam pelo menos seis meses depois do parto antes de começarem uma terapia trivalente de anti-retrovirais, combinada com nevirapine, não mostraram sinais de resistência ao tratamento. Por outro lado, 41,7% das que não obedeceram a esse prazo desenvolveram resistência.
 

 

O estudo foi realizado com um grupo de 218 mulheres do Botsuana por Shahin Lockman, professor adjunto do serviço de Imunologia e Doenças Infecciosas da Escola de Medicina da Harvard University em Massachusetts, EUA.
 

 

O nevirapine é frequentemente o único tratamento anti-retroviral disponível nos países pouco desenvolvidos para as mulheres grávidas seropositivas, dado ser menos dispendioso.
 

 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.