Notificações de telemóvel são perigo sério de distração

Estudo publicado no Journal of Experimental Psychology: Human Perception and Performance”

10 agosto 2015
  |  Partilhar:
A distração provocada por uma notificação do telemóvel (quer seja sonora ou vibratória) é comparável à utilização do telemóvel para a realização de chamadas ou para o envio de mensagens, revela uma investigação da Universidade do Estado da Florida, nos EUA.
 
Estudos anteriores haviam já demonstrado que a utilização do telemóvel em simultâneo com a realização de outra tarefa está associada a pior desempenho desta última. De acordo com os autores deste novo estudo, tal tem a ver com o facto de a nossa capacidade de atenção ser limitada, visto ter de ser repartida pelas várias tarefas executadas em simultâneo. O estudo, intitulado “The Attentional Cost of Receiving a Cell Notification“ (“O Custo de Atenção de Receber um Alerta no Telemóvel”), salienta que sermos alertados para uma chamada perdida ou para uma mensagem pode ter o mesmo efeito.
 
Para esta investigação, os cientistas liderados por Cary Stothart compararam o desempenho de vários participantes numa tarefa ao computador que requeria atenção. A experiência foi dividida em duas partes: na primeira, os participantes tiveram simplesmente de realizar a tarefa. Na segunda, apesar de não o saberem, os mesmos participantes foram distribuídos aleatoriamente por um de três subgrupos: um que recebeu uma notificação de chamada perdida, outro de receção de mensagem e outro que não recebeu qualquer notificação no telemóvel. Nos dois primeiros subgrupos, os investigadores realizaram chamadas e enviaram mensagens automáticas para os telemóveis pessoais dos participantes sem que eles soubessem que estas provinham dos cientistas.
 
Os resultados revelaram que, no geral, os participantes que receberam notificações enganaram-se mais frequentemente do que aqueles que não tinham recebido qualquer notificação. Aliás, a probabilidade de vir a cometer um erro foi três vezes maior nos subgrupos que receberam notificações. Os que receberam notificação de chamada realizaram a tarefa pior do que aqueles que receberam notificação de mensagem.
 
Os investigadores compararam os achados deste estudo com os de outros que analisaram o impacto da utilização do telemóvel na atenção e descobriram que eram semelhantes. Isto sugere que receber uma notificação, mesmo que não se responda, provoca tanta distração como atender uma chamada ou responder a uma mensagem de texto.
 
“Apesar de estas notificações serem normalmente bastante curtas, podem desencadear pensamentos irrelevantes para a tarefa ou divagação mental, o que revelou ser prejudicial para o desempenho de tarefas”, esclarecem os autores no estudo. “As simples notificações de telemóvel prejudicam significativamente o desempenho de tarefas que requeiram atenção, mesmo quando os participantes não estão a interagir diretamente com o aparelho móvel durante a execução da tarefa”, acrescentam.
 
Estes achados são importantes, porque várias campanhas de informação pública têm como alvo as problemáticas associadas à utilização do telemóvel (durante a condução, por exemplo) e normalmente enfatizam a necessidade de as pessoas aguardarem para responder a mensagens ou chamadas. No entanto, de acordo com este novo estudo, o simples facto de receber uma notificação pode ter um impacto negativo sobre a atenção, porque mesmo lembrar-se de fazer algo no futuro é suficiente para comprometer o desempenho duma outra tarefa, mesmo que não esteja relacionada.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.