Nobel da Medicina premeia mecanismos de transporte da célula

Laureado mostra-se incrédulo e alegre

09 outubro 2013
  |  Partilhar:

Um dos três vencedores do prémio Nobel da Medicina 2013, Randy Schekman, diz ter ficado incrédulo e alegre no momento do anúncio do galardão.
 

“A minha reação quando ouvi foi de incredulidade e de alegria”, disse o biólogo de 64 anos, em declarações à agência noticiosa francesa AFP.
 

A notícia avançada pela agência Lusa refere que o cientista revelou que o galardão, que foi partilhado com outro norte-americano, James Rothman, e com o alemão Thomas C. Südhof, premeia cerca de quatro décadas de investigação.
 

Os cientistas, que trabalham todos em universidades norte-americanas, foram distinguidos pelas "suas descobertas sobre o mecanismo de transporte para o interior da célula" que permite que "as moléculas sejam transportadas no momento exato para o local certo dentro da célula", indicou o comité Nobel.
 

As suas descobertas tiveram um impacto importante na compreensão de como as moléculas são colocadas dentro e fora da célula e têm implicações para o trabalho em várias doenças, incluindo distúrbios neurológicos e imunológicos, bem como diabetes.
 

O comité Nobel sublinhou que o biólogo norte-americano “descobriu um conjunto de genes que são necessários para o tráfico da vesícula”.
 

Mesmo sofrendo eventuais mudanças na sua rotina diária, o cientista está decidido em prosseguir com o seu trabalho de investigação.
 

“A ciência avança. Estamos entusiasmados com aquilo que estamos a fazer no nosso laboratório”, referiu.
 

Os vencedores vão repartir o prémio de oito milhões de coroas suecas (925.000 euros).

 

ALife Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.