NASA lança hoje robô para Marte em busca de água e vida

Exploração marciana está em alta

07 junho 2003
  |  Partilhar:

A agência espacial norte-americana NASA lança hoje o primeiro de dois robôs que vão aterrar em Marte à procura de vestígios de água ou vida, missão que vai retomar a exploração marciana depois de fracassos anteriores.
 

 

Os lançamentos das sondas Mars Expedition Rover (MER-A e MER-B) - cada uma com um veículo todo-o-terreno de cerca de 180 quilos a bordo - estão marcados para os dias 08 e 26 de Junho a partir do Cabo Canaveral (Flórida).
 

 

A primeira tentativa de lançamento para a MER-A, através de um Delta II da Boeing, está marcada para as 19:05, hora de Lisboa.
 

 

A exploração marciana está em alta, depois do lançamento, segunda-feira, da sonda Mars Express, estreando a Europa em missões interplanetárias, e agora dos dois robôs norte-americanos.
 

 

A escolha deste destino prende-se com o posicionamento do planeta vermelho, que, em Agosto, vai fazer a sua órbita em redor do Sol a apenas 55 milhões de quilómetros da Terra, o que apenas acontece uma vez em 26 meses.
 

 

A NASA mobilizou cerca de 800 milhões de dólares (o mesmo valor em euros aproximadamente) para o envio de dois robôs de seis rodas que irão aterrar bastante distantes um do outro, em locais de potencial geológico importante, antes de iniciarem a sua marcha em busca de novas descobertas, durante três meses.
 

 

Classificados como "robôs geológicos" pelos cientistas da missão, os Rovers, alimentados por energia solar, podem percorrer 40 metros por dia marciano, mais que a distância percorrida durante toda a missão norte-americana Pathfinder, cujo mini-robô Sojourner, de 10 quilos, foi o primeiro a caminhar sobre Marte, em 1997.
 

 

A chegada dos Rovers e da Mars Express está prevista para Janeiro de 2004.
 

 

Depois do fracasso da Polar Lander em 1999, que se despenhou sobre Marte depois de uma falha no seu sistema de aterragem motorizado, a NASA retomou o sistema do Pathfinder: uma descida lenta por pára-quedas seguida de uma aterragem amortizada por um sistema de airbags.
 

 

Cada engenho deverá saltitar uma dezena de vezes sobre o solo gelado de Marte antes de se imobilizar.
 

 

Assim que os airbags esvaziarem, a sonda abre-se, estendendo o seu braço telescópio equipado com um aparelho de fotografia que vai dar uma panorâmica de 360 graus, em cor, do solo marciano.
 

 

O dispositivo poderá então abandonar a sua capa protectora para iniciar uma análise do solo e das rochas, graças a cinco instrumentos de estudo geológico e uma ferramenta especial que lhe vai permitir escavar ou perfurar.
 

 

Os cientistas do Jet Propulsion Laboratory da NASA, em Pasadena, Califórnia, vão receber as informações transmitidas pelos robôs directamente para Terra através dos dois satélites norte-americanos que orbitam em redor de Marte, os Global Surveyor e Odyssey.
 

 

Os dados vão permitir aos cientistas decidir qual deverá ser a rota a seguir no dia seguinte.
 

 

Os cientistas deverão começar por explorar os arredores do ponto de aterragem dos robôs, antes de os aventurar para mais longe, por forma a percorrerem até 500 metros cada no conjunto da missão.
 

 

Não existe água em estado líquido em Marte mas a geologia e o relevo particular do planeta vermelho, que parece modelado por cursos de água, convenceram vários cientistas da sua existência no passado.
 

 

O primeiro Rover deverá aterrar na cratera Gusev, 15 graus a sul do equador de Marte, a 04 de Janeiro de 2004.
 

 

O segundo Rover vai pousar no Meridiani Planum, uma zona de acumulação de óxido de ferro, situada a dois graus sul do equador, dia 25 do mesmo mês.
 

 

Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.