Narcisistas são maus amantes

Excesso de amor próprio atrapalha a relação

24 setembro 2002
  |  Partilhar:

Apesar do velho ditado ama-te a ti mesmo antes de poder amar os outros, uma nova investigação demonstrou que demasiado amor próprio por si mesmo – narcisismo – pode prejudicar profundamente a possibilidade de estabelecer relações duradoiras.
 

 

No entanto, é possível que esta notícia não seja negativa para os narcisistas, disse à Reuters o principal autor do estudo, W. Keith Campbell, da Universidade de Georgia, Atenas.
 

 

Para manter o domínio das relações sentimentais, segundo Campbell, os narcisistas tendem a recorrer a incertezas, como ter dúvidas sobre a serenidade do compromisso ou infidelidade.
 

 

«Se se quer uma relação duradoira, é um grande erro encetar um relacionamento com um narcisista», aconselhou o especialista.
 

 

Os narcisistas possuem rasgos distintivos na sua personalidade, que normalmente são reconhecidos pelas outras pessoas. O que é importante para eles é a sua auto-imagem, consideram-se mais inteligentes, atractivos e importantes que os outros.
 

 

É difícil calcular quantas pessoas são narcisistas, adiantou Campbell, porque os seus rasgas de personalidade apresentam-se numa sequência contínua: muita gente possui certas qualidades narcisistas e algumas mais do que outras, explicou.
 

 

Mais. Segundo o autor, o narcisismo é ligeiramente mais frequente nos homens que nas mulheres.
 

Apesar de poder ser um pesadelo viver com um narcisista, segundo Campbell um flirt a curto prazo poderia ser fantástico: «normalmente, os narcisistas chamam a atenção dos outros e podem ampliar a popularidade das suas companheiras».
 

 

Mas, a cima de tudo, as pessoas com uma elevada auto-estima desejam que os outros possuam as mesmas certezas que eles, facto que segundo a opinião do autor, pode ser encantador.
 

 

No entanto, as estratégias para conservar o poder dos narcisistas podem resultar frustrantes para as suas companheiras que, na maioria dos casos aponta o autor, terminam a relação com uma pergunta: «Como pude ter andado com esta pessoa?»
 

 

A equipa liderada por Campbell associou o narcisismo com um jogo, mediante uma série de experiências publicadas no Journal of Personality and Social Psychology.
 

Durante as experiências, os investigadores entrevistaram mais de 100 estudantes universitários sobre as suas personalidades e estilos de relação, assim como sobre as suas companheiras, tanto em relações passadas como presentes.
 

 

A equipa de Campbell chegou à conclusão que, em conjunto com a tendência a ser mais jogadores, os narcisistas tendem a ser pouco dignos de confiança numa relação, e, regra geral, são pragmáticos quando tratam os seus companheiros.
 

O estudo também concluiu que os narcisistas inclinados a jogos com os seus companheiros são também menos propensos a comprometerem-se seriamente numa relação e, por isso, procuram amores à margem da relação.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.