Mutilação genital feminina em Portugal

Governo classifica situação de «inaceitável» e avança com investigação

31 janeiro 2003
  |  Partilhar:

Segundo o ministro da Presidência, Morais Sarmento, os «fortes indícios» da prática de mutilação genital feminina em Portugal, no seio da comunidade de origem africana, estão a ser investigados porque são «inaceitáveis».
 

 

Na abertura do seminário «Mulheres Migrantes - Duas Faces de uma Realidade», que decorre até sexta-feira em Lisboa, o ministro garantiu que os indícios daquela prática, dados a conhecer através de informações hospitalares e de organizações de apoio à comunidade imigrante, estão a ser investigados no âmbito do Ministério da Administração Interna.
 

 

Na conferência de imprensa que se seguiu à sessão de abertura do seminário, o alto comissário para a Imigração e Minorias Étnicas, António Vaz Pinto, anunciou que vai «activar» a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial, existente no âmbito do Alto Comissariado.
 

 

Esta medida integra-se num plano de acompanhamento dos imigrantes em Portugal e será adoptada juntamente com a abertura, a partir de 12 de Fevereiro, de 15 Centros Nacionais de Apoio ao Imigrante.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.