Mutação genética associada à doença de Parkinson é frequente nos portugueses

Estudo do Hospital de Santa Maria

15 abril 2009
  |  Partilhar:

Portugal é um dos países europeus mais predispostos à doença de Parkinson devido a uma mutação genética frequente na população portuguesa, conhecida por Park 8, revela uma investigação do Hospital de Santa Maria (Lisboa).

 

“Há alterações genéticas que são particularmente frequentes na população portuguesa, nomeadamente a Park 8, que é uma mutação associada a esta doença e que é particularmente prevalente nos países do Sul da Europa, principalmente em Portugal e Espanha”, disse à agência Lusa Joaquim Ferreira, neurologista do Hospital Santa Maria.

 

Mas, segundo o neurologista, este estudo sobre as alterações genéticas ligadas à doença de Parkinson pode permitir que, no futuro, pessoas em risco de vir a ter a doença não a desenvolvam.

 

“Se nós conseguirmos saber mais sobre essas alterações genéticas podemos eventualmente vir a identificar pessoas em risco de terem a doença mesmo antes de os sinais aparecerem e estudar medicamentos que possam ser testados nessas pessoas”, explicou o médico da Sociedade Portuguesa de Neurologia.

 

O neurologista adiantou ainda que os investigadores estão a trabalhar para que “daqui a 10 ou 20 anos possa haver armas que permitam que pessoas em risco de vir a ter a doença nunca cheguem a desenvolver os sinais”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.