Músicos têm mais neurónios

Investigação ajuda a explicar a existência de virtuosos na música

17 junho 2002
  |  Partilhar:

Nem toda a gente nasce para a música. Mas o que é que determina que uns sejam mais dotados e que outros não consigam distinguir um sino de uma campainha de porta, como diz a gíria popular? Mais simples ainda: o que faz de alguém um Mozart ou um Beethoven em potência?
 

 

A resposta a estas perguntas não é ainda clara, mas um grupo de investigadores da universidade alemã de Heidelberg conseguiu verificar pelo menos um facto curioso: os músicos profissionais têm mais massa cinzenta na zona do cérebro envolvida no processamento da música.
 

 

Esta descoberta, publicada ontem na edição electrónica da Nature Neuroscience, pode explicar, segundo os autores do artigo, a razão porque os virtuosos da música já nascem virtuosos.
 

 

O facto de existir uma rede neuronal mais densa numa determinada zona cerebral ligada à música não chega, no entanto, para explicar os fenómenos aparentemente raros do tipo Mozart. Mais. Ainda não é claro sequer, neste momento, se a massa cinzenta extra observada no cérebro dos músicos profissionais - e verificada em todos os deste grupo que participaram na experiência - já nasceu com eles ou se, pelo contrário, se desenvolveu com o treino e a prática precoce de um instrumento musical.
 

 

Veja mais em:Diário de Notícias
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.