Música pode combater a dor

Até a mais pesada, acalma quem gosta da ouvir

19 junho 2005
  |  Partilhar:

Ouvir música pode ajudar a aliviar a dor, segundo um estudo de psicólogos da Caledonian University, na Escócia.
 

 

Os voluntários do estudo ouviram melodias que variaram de punk, rock, clássica e folclórica até ao Firestarter, do «The Prodigy». Os doentes relataram sentir menos dor e uma sensação de maior controlo sobre o corpo.
 

 

«Estudamos pacientes que estavam a recuperar de pequenas cirurgias em hospitais e descobrimos que ouvir a música favorita reduziu o nível de ansiedade», disse o psicólogo Raymond MacDonald, envolvido no estudo.
 

 

Depois desta experiência foram realizados uma série de estudos em laboratório, pedindo aos voluntários que mantivessem as suas mãos imersas em água gelada pelo máximo de tempo que conseguissem.
 

 

Durante o teste com água gelada, os participantes podiam escolher se queriam ouvir música, fazer cálculos mentais ou assistir a uma comédia na televisão.
 

 

Em cada caso, a pessoa que ouvia música conseguia manter as mãos na água gelada por mais tempo, às vezes até cinco vezes mais tempo do que os outros voluntários.
 

 

Os investigadores acreditam que o resultado foi obtido porque a música, além de propiciar distracção, pode envolver o paciente emocionalmente, ao contrário de outros estimulantes.
 

 

Segundo a psicóloga Laura Mitchell, que conduziu os testes, «os estudo mostraram que a música parece ser a estratégia mais eficaz para combinar distracção e sensação de controlo».
 

 

As músicas trazidas pelos participantes eram variadas, mas a escolha mais surpreendente foi Firestarter, que não é facilmente identificada como música para relaxar. No entanto, o voluntário que a escolheu suportou a dor cinco vezes mais tempo enquanto ouvia a canção.
 

 

O trabalho pode indicar o caminho para novos estudos sobre o uso de música em hospitais.
 

 

O estudo foi apresentado na conferência da Sociedade Psicológica Britânica na cidade de Manchester.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.