Música combate o stress

Sistema compõe músicas segundo o nível de relaxamento de uma pessoa

15 março 2004
  |  Partilhar:

Não é nenhuma novidade. Os cientistas já sabem que a música pode afectar o estado psicológico de uma pessoa, induzindo-a à excitação ou, pelo contrário, ao relaxamento. Mas, partindo desta teoria, investigadores do MIT Media Lab europeu estão a desenvolver um sistema que compõe músicas de acordo com o nível de relaxamento de uma pessoa.A aplicação, que ainda está a ser elaborada, usa a biometria para controlar o que a pessoa ouve. Conforme a pessoa relaxa, diferentes instrumentos começam a ser tocados. Segundo os cientistas, o sistema poderá ser usado para combater o stress.«O projecto é baseado na ideia do envolvimento profundo com a música de acordo com um estado bio-métrico positivo», disse Phil McDarby, investigador do grupo Mind Games em Dublin.«O sistema tem diferentes tons, incluindo sons de baixo, piano e flautas, armazenados em sete diferentes camadas», explicou o cientista à BBC, acrescentando que «conforme a pessoa relaxa, as camadas vão sendo reveladas e fazem a pessoa relaxar cada vez mais com a música.» As mudanças no estado da pessoa são detectadas por dois dispositivos bio-métricos colocados na ponta dos dedos. A parte mais difícil é conduzir a pessoa a um relaxamento total, para que as diferentes camadas de música possam ser activadas. Algumas pessoas que tentaram o sistema só conseguiram ouvir o baixo.«A ideia central é que a música comece a ser composta de acordo com os sentimentos da pessoa», disse McDarby. Mas esta ideia nasceu de um trabalho anterior dos investigadores do grupo Mind Games, que foi desenvolvido para ajudar crianças com problemas como ansiedade, fobias e stress pós-traumático.Apesar de apenas poucas pessoas já terem testado o projecto musical - e de este estar a ser desenvolvido há apenas um mês - , os cientistas estão optimistas. McDarby espera poder desenvolver ainda mais o projecto para permitir uma colaboração maior e mais divertida no controlo do stress. Mas ressalta, no entanto, que o sistema também poderá ser usado como uma forma inédita de produção musical. «Imagine uma orquestra que, em vez de instrumentos, tenha sensores acoplados aos dedos dos músicos. E esses sensores activariam gravações e composições já produzidas por esses músicos de acordo com o estado psicológico de cada um». Consegue imaginar…Então, agora é só esperar que os investigadores comecem a desenvolver o interface do projecto.Traduzido e adaptado por:Paula Pedro MartinsJornalistaMNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.