Mundo teme regresso da varíola

Receio de ataques bioterroristas leva países a contactar laboratório que estuda nova vacina

26 setembro 2001
  |  Partilhar:

O ressurgimento da extinta varíola, uma doença erradicada do mundo há cerca de 20 anos, está a preocupar alguns países. Esta semana, a empresa dinamarquesa Bavarian Nordic, que está a preparara um novo antídoto contra este mal, foi contactada por autoridades de dois países que queriam saber mais sobre a suposta vacina.
 

 

Os ataques terroristas ao World Trade Center, em Nova Iorque, e as futuras consequências da retaliação norte-americana ao Afeganistão relançaram a preocupação em torno do uso de armas biológicas.
 

 

Peter Wulff, director da Bavarian Nordic, disse que a empresa manteve contactos com cinco países ocidentais sobre a possibilidade de aumentarem a vigilância para uma possível guerra biológica ou química. Dois dos contactos aconteceram depois dos ataques em Nova Iorque e Washington, nos Estados Unidos.
 

 

OMS lança alerta
 

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu, no início da semana, para que todos os países aumentem as suas defesas contra armas biológicas.
 

 

Para os cientistas, a varíola e o antraz são as maiores ameaças de uma guerra desse tipo, mas só a varíola - doença contagiosa e mortal que causa bolhas na pele, dores e febre - tem o potencial de se transformar numa epidemia mundial.
 

 

Depois de um programa de vacinação em massa na década de 60, o último caso da doença foi registrado em Outubro de 1977, e em 8 de Maio de 1980 confirmou-se a erradicação da varíola no mundo.
 

 

O aparecimento da varíola humana terá ocorrido, pelo menos, dez séculos aC.. As primeiras provas da sua existência são encontradas nas faces de várias múmias das dinastias egípcias, datadas de 1570 a 1085 ª C.. Esta foi, de facto, uma das maiores epidemias da história da Humanidade. Até ao aparecimento do HIV, o homem nunca tinha assistido a uma doença de origem vírica tão mortal como a varíola.
 

Só em 1800 começa a cruzada contra a doença. Depois da descoberta de Edward Jenner iniciou-se, então, a era da vacinação fácil e generalizada.
 

 

Sintomas
 

 

A doença aparece rapidamente. De imediato é acompanhada por febre elevada, arrepios, dores nas costas, mialgias, prostração, náuseas e vómitos. Depois de quatro dias de febres altas, os doentes são “atacados” por centenas de borbulhas, que cicatrizam em três ou quatro semanas. Os sobreviventes ficavam, para sempre, imunes à doença e com muitas cicatrizes, mas, em casos mais severos, esta doença pode também levar à cegueira ou até à morte.
 

 

Nova vacina
 

 

A vacina da Bavarian Nordic, uma versão actualizada de uma dose já existente, passa actualmente pela primeira fase de estudos clínicos.
 

 

Mas como na segunda e terceira fases do estudo – as etapas finais – são necessárias experiências em pacientes, e como a varíola foi erradicada do planeta, estes duas etapas poderão não ser efectuadas.
 

 

A empresa dinamarquesa pretende iniciar uma investigação nos EUA, já no próximo ano, e, segundo o director da empresa, a vacina será comercializada dentro de dois anos.
 

 

Apesar da vacina não estar registrada como um produto, a empresa já tem compradores para a forma actual. «Se houvesse um ataque de bioterrorismo em qualquer lugar, as autoridades não hesitarão usar qualquer substância para proteger seu povo».
 

 

Paula Pedro Martins
 

 

MNI - Médicos Na Internet
 

 

Com: CNN,Reuters,BBC
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.