Mulheres que tomam a pílula arriscam gravidez

Estudo europeu apresenta resultados preocupantes

08 novembro 2005
  |  Partilhar:

 

Quatro em cada cinco utilizadoras da pílula passaram por situações que comprometeram a eficácia do método, embora não tivessem tomado outras medidas para evitar uma gravidez, de acordo com estudo europeu que envolveu mais de 8500 indivíduos com idades entre os 16 e os 40 anos.
 

 

De acordo com os resultados do estudo“Contraceptive Confindence and Consequences”, o desconhecimento de todas as circunstâncias que afectam a eficácia da pílula foi outro dos aspectos encontrados neste trabalho: embora 93% das utilizadoras saiba que a falha de um comprimido reduz a eficácia, menos de metade (44%) sabia que o atraso na toma ou o uso de antibióticos (37%) tem o mesmo efeito.
 

 

A causa mais referida pela qual passam por situações de possível gravidez foi o esquecimento de um ou mais comprimidos por mês (79%), embora a utilização de antibióticos ou o vómito tenham sido citados por 24 por cento das inquiridas.
 

 

O trabalho revelou ainda que 67 por cento das mulheres e 59 por cento dos homens afirmaram que o receio de uma gravidez teve um impacto negativo na sua vida emocional. Resultados preliminares já tinham demonstrado que uma em cada sete destas mulheres se sentia, quase sempre, aliviada com o aparecimento do período menstrual. Em contrapartida, menos de um terço (29%) das que utilizava o anel vaginal (método mensal) sentia o mesmo receio de gravidez e depois alívio com a menstruação.
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.