Mulheres moçambicanas vão testar microbicida vaginal

Projecto co-financiado pela Fundação Bill e Melinda Gates

29 janeiro 2008
  |  Partilhar:

 

Quinhentas mulheres moçambicanas começaram a testar voluntariamente um novo microbicida vaginal, um gel que se espera poder servir como alternativa ao preservativo e prevenir infecções sexualmente transmissíveis, incluindo o HIV.
 

 

O ensaio é realizado pelo Centro de Investigação de Saúde da Manhiça (CISM), na província de Maputo, instituição internacionalmente reconhecida por, há muito, desenvolver pesquisas de vacina da Malária,.
 

 

O projecto foi financiado pela Fundação Bill e Melinda Gates e tem parceria do Ministério da Saúde, da Universidade Eduardo Mondlane e o Programa do Desenvolvimento de Microbicidas (MDDP).
 

 

No ano passado, investigadores suspenderam estudos clínicos de um microbicida vaginal, o Ushercell, que se esperava poder prevenir a infecção pelo HIV, após resultados terem demonstrado que o gel em causa parecia aumentar o risco de contrair o vírus da SIDA.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.