Mulheres mais propensas a lesões no ligamento do joelho

Esta relação parece estar relacionada com o período de ovulação

24 agosto 2001
  |  Partilhar:

O risco de lesões nos ligamentos do joelho é maior nas mulheres comparativamente aos homens. Agora, um novo estudo indica que a ovulação e possivelmente o uso de anticoncepcionais orais podem desempenhar papéis importantes na possibilidade de uma mulher sofrer uma lesão no ligamento cruzado anterior (ACL).
 

 

Neste estudo, apresentado durante um encontro recente da American Orthopaedic Society for Sports Medicine, em Keystone (Colorado, EUA), os pesquisadores descobriram que nas mulheres a susceptibilidade a lesões no ACL é três vezes maior durante a ovulação do que nas outras fases do ciclo menstrual.
 

 

Como esse padrão foi observado apenas em mulheres que não tomavam a pílula, as conclusões deste trabalho de investigação também sugerem que os anticoncepcionais orais podem, de alguma forma, dar algum grau de protecção contra a lesão.
 

 

No entanto, o principal autor do estudo, Edward M. Wojtys, director do departamento de medicina desportiva da Universidade de Michigan, EUA, realça que as descobertas não sugerem que os anticoncepcionais orais são uma forma de prevenir lesões no ACL.
 

 

Este investigador adianta que "esta pesquisa não justifica que as mulheres jovens deixem de praticar desportos ou que passem a tomar anticoncepcionais orais para prevenir este tipo de lesões". E continua: "Há alguma evidência de que as lesões no ACL se relacionam com o ciclo menstrual e provavelmente com as hormonas sexuais. Mas ainda não temos informações suficientes para justificar o uso de contraceptivos orais para prevenir lesões nos ligamentos do joelho."
 

 

As conclusões do trabalho realizado pela equipa de Edward M. Wojtys indicam que as rupturas do ACL são oito vezes superior nas atletas do que nos atletas. As lesões no ACL ocorrem normalmente em desportos que exigem giros ou saltos rápidos, como o basquete e o futebol.
 

 

Pensa-se que sejam vários os factores (desde diferenças na musculatura a métodos de treino ou até os quadris mais largos das mulheres) responsáveis por uma taxa mais elevada de lesões no ACL em mulheres.
 

 

O aumento de risco de ruptura destes ligamentos durante a ovulação pode estar relacionado com o facto das células do tecido mole que constitui o ACL possuírem receptores de estrogênio. Assim, alguns pesquisadores acreditam que as flutuações hormonais próprias desta fase do ciclo menstrual (aumento dos níveis de estrogénios) aumentem o risco de lesão nos ACL em mulheres.
 

 

Wojtys não deixa de evidenciar que a relação encontrada no trabalho realizado pela sua equipa ainda não foi comprovada: "Mesmo que o ciclo menstrual tenha algum efeito no aumento da suscetibilidade deste ligamento a rupturas... isso ainda não é claro.”
 

 

"Parece-me que as pessoas se estão a precipitar ao concluir que o estrogênio actua no ligamento cruzado anterior aumentando o risco de lesões no mesmo quando na verdade existem diversos locais onde aquela hormona poderá actuar como por exemplo os músculos, o sistema nervoso central e o sistema nervoso periférico", acrescentou o investigador.
 

 

Por estas razões, Wojtys apela por mais pesquisas que averiguem a forma como as hormonas sexuais influenciam o comportamento dos ligamentos e outros tecidos moles, assim como dos músculos e do sistema nervoso.
 

 

Joaquina Pereira
 

MNI – Médicos na Internet
 

 

Fonte: Reuters

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.