Mulheres contra descomparticipação da pílula

Movimento Democrático de Mulheres envia carta aberta ao Governo

05 setembro 2005
  |  Partilhar:

 

 

O Movimento Democrático de Mulheres (MDM) mandou sexta-feira, 2 de Setembro, uma carta aberta ao Governo a protestar contra a possibilidade de descomparticipação da pílula contraceptiva. A organização feminista associa a medida à "forma distante e altiva com que este Governo encara as questões das mulheres desde a sua formação".
 

 

No documento, também enviado à comunicação social, a ONG lembra que a pílula é "o contraceptivo mais usado pelas mulheres de todas as idades", o que "tem menos contra-indicações" e é "o de mais fácil acesso". "Se há mulheres que abdicam, por vezes, da receita médica não será devido ao sistema de saúde que (não) temos?", questiona. "Adquirir um medicamento de rotina, cuja eficácia depende da precisão com que é tomado", nem sempre é "compaginável com a falta de médico de família" e consequente "dificuldade de obter uma consulta". Tão-pouco com o facto de a "mulher ter de se ausentar do emprego para ir pedir uma receita".
 

 

Ao mesmo tempo, acrescenta, "não ata nem desata no sentido de dar ao país uma lei de interrupção voluntária da gravidez moderna e consentânea com os princípios orientadores da Organização Mundial de Saúde".
 

 

Fonte: Público
 

MNI- Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.