Mulher deve poder escolher tipo de parto no SNS

Parecer da Associação Portuguesa de Bioética

03 abril 2008
  |  Partilhar:

Um parecer apresentado pelo presidente da Associação Portuguesa de Bioética, Rui Nunes, refere que as mulheres devem ter o direito a escolher a sua via de parto preferencial no Serviço Nacional de Saúde (SNS).
 

 

No documento, Rui Nunes, também director do Serviço de Bioética e Ética Médica da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), evidencia que o casal, e em especial a mulher grávida, deve ter o direito a escolher entre a Cesariana e o Parto Normal, de maneira a "padronizar as práticas no sistema de saúde português".
 

 

Segundo os especialistas de Bioética, "assiste-se a disparidades gritantes entre as práticas verificadas no sector público e no sector privado".
 

 

No mesmo documento é referido ser "necessário efectuar uma avaliação económica rigorosa", dado que, a "generalização da possibilidade de escolha da via de parto pode originar um agravamento dos custos com a prestação de cuidados de saúde".
 

 

O parecer refere ainda que deve ser dado um "aconselhamento adequado" em todas as unidades de saúde, preferencialmente logo desde o início da gravidez.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.