Muitos pais entram em depressão nos primeiros 12 anos do filho

Estudo será publicado nos “Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine”

13 setembro 2010
  |  Partilhar:

Muitos pais entram em depressão durante os primeiros 12 anos de vida dos seus filhos e o risco é maior no primeiro ano após o nascimento, refere um estudo que será publicado na edição de Novembro dos “Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine”.

 

Investigadores britânicos analisaram dados de 86.957 famílias atendidas em clínicas de atenção primária entre 1993 e 2007 para identificar os pais que sofriam de depressão. Verificaram que mais de um terço das mães e cerca de um quinto dos pais tinham sofrido algum episódio de depressão durante os 12 anos subsequentes ao nascimento dos filhos. Em termos de números, 19.286 mães tiveram um total de 25.176 episódios de depressão e 8.012 pais apresentaram um total de 9.683.


Em geral, as taxas de depressão foram 7,53 por 100 mães e 2,69 por 100 pais por ano. Mas os índices durante o primeiro ano após o nascimento de um filho foram 13,93 por 100 mães e 3,56 por 100 pais.

 

"Estas altas taxas de depressão no pós-parto não são surpreendentes, dado o potencial de stress associado ao nascimento de um bebé, como, por exemplo, a falta de sono dos pais, as novas exigências, a mudança de responsabilidades e a pressão que tudo isto poderá colocar no relacionamento do casal", escreveu, em comunicado de imprensa, Dave Shreya, do Medical Research Council, em Londres.

 

Da análise, os investigadores verificaram que a depressão era mais provável nos pais com histórico de doença, nos que tinham entre 15 e 24 anos aquando do nascimento dos filhos e entre os que tinham mais dificuldades socioeconómicas.

 

"Existe uma relação bem estabelecida entre a depressão e a privação social e económica da população em geral. Esta constatação pode reflectir as tensões criadas pela pobreza, desemprego, emprego de fraca remuneração e um menor apoio social entre as pessoas com baixo nível socioeconómico ", concluíram os investigadores, em comunicado de imprensa.

 

Além destes factos, "os pais mais jovens podem estar menos preparados para a paternidade, ter mais gravidezes não planeadas, assim como uma menor capacidade de lidar com o stress da paternidade, em comparação com os pais mais velhos", adiantam ainda os investigadores.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 1 Comentar

depressão

Esta é o que se chama da depressão pós parto saibam mais aqui http://www.sintomasdepressao.com/depressao-pos-parto/

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.