Muitos AVC podem ser evitados com anticoagulantes

Alerta de especialistas dos Hospitais da Universidade de Coimbra

27 junho 2010
  |  Partilhar:

Num workshop dirigido a jornalistas, especialistas dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) defenderam o incremento da utilização de medicamentos anticoagulantes para a prevenção dos AVC (Acidentes Vasculares Cerebrais). Em Portugal, a cada hora que passa ocorrem 6 AVC.

 

“Mais de 50% dos doentes (com fibrilhação auricular) não fazem terapêutica preventiva” e esta é uma causa de AVC “demasiado esquecida”, o que exige, segundo Luís Cunha, director do Serviço de Neurologia dos HUC, uma maior sensibilização do doente.

 

Uma das razões que levam os médicos a não prescrever os anticoagulantes por via oral com a frequência que estes especialistas consideram a adequada é o maior risco de ocorrência de hemorragias. “Não é uma terapêutica fácil. Têm receios de hemorragias, mas os benefícios são largamente compensados. É preciso saber aceitar os riscos. Têm de ser os doentes a exigir dos médicos”, sublinhou Luís Cunha.

 

Pedro Monteiro, director da Unidade de Inovação e Desenvolvimento dos HUC, realçou que os novos fármacos anticoagulantes que estão a entrar no mercado vêm diminuir os riscos associados a estas terapias preventivas de AVC.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 3Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.