Mozart terá sofrido de síndrome de Tourette

Documentário britânico lança novas questões

08 setembro 2004
  |  Partilhar:

  O génio de Wolfang Amadeus Mozart – que nasceu em Salzburgo, Áustria em 1756 _ viu a sua vida afectada por uma estranha e compulsiva doença.  Segundo um documentário que a televisão britânica Channel 4 emitirá em Outubro, mas cujo conteúdo foi antecipado esta semana, Mozart terá sofrido de síndrome de Tourette. No programa, o compositor britânico James McConnell, que também sofre da doença, explica por que o mestre austríaco (1756-1791) parece ter padecido do mesmo problema, depois de analisar algumas de suas cartas e partituras. A Síndrome de Tourette (ST), outrora considerada rara - apenas uma curiosidade médica - tem sido alvo de crescente relevância na literatura e prática neuropsiquiátricas. Trata-se de um distúrbio neurológico hereditário que se caracteriza por movimentos involuntários repetidos e tiques nervosos fónicos incontroláveis que, em alguns casos, incluem insultos e frases inapropriadas. A patologia conhecida actualmente como Síndrome de Gilles de la Tourette (ST) foi inicialmente descrita pelo médico francês Jean Marie Itard, em 1825, o qual relatou o caso de uma nobre francesa, a Marquesa de Dampièrre, que desde os sete anos era portadora de tiques corporais persistentes. Emitia sons semelhantes a latidos, além de proferir obscenidades que a forçaram a viver reclusa pela maior parte de sua vida.Segundo McConnell, Mozart era propenso a utilizar palavras e frases inapropriadas e tinha um comportamento impulsivo, com reacções como abandonar o piano em pleno recital e perante a realeza para brincar com um gato que tinha entrado na sala. O autor de óperas tão conhecidas como «As bodas de Fígaro» (1786) «escreveu algumas cartas absolutamente repugnantes e, embora as pessoas do século XVIII fossem bastante grosseiras, ele foi ainda mais longe», explica o compositor britânico. McConnell acha que a música do génio austríaco é uma «mistura de caos e controlo. A síndrome de Tourette é uma batalha constante entre duas coisas: ter uma compulsão e controlá-la e isso transfere-se para a música". Mozart permitia, com a introdução de complexas regras, que «a sua música se propagasse em direcções caóticas, mas sempre as mantinha sob controlo». Embora o compositor britânico considere que a síndrome pôde influir as obras de Mozart, rejeita, no entanto, que o transtorno fosse a fonte do seu talento. Mozart «foi um génio -conclui McConnell – e sofreu a síndrome de Tourette e, embora isso possa afectar a forma como um génio se expressa a si mesmo, ao fazê-lo ir contra seus princípios, sem a doença ele também teria sido um compositor brilhante». Traduzido e adaptado por:Paula Pedro MartinsJornalistaMNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.