Morrem mais de 5.500 crianças por dia em África

Relatório da Unicef afirma que com medidas simples se podem salvar muitas vidas

20 julho 2005
  |  Partilhar:

A Unicef apresentou um relatório em que afirma que uma média de 5.500 crianças, com menos de cinco anos, morre por dia em diferentes países do continente africano. A maioria destas mortes podia evitar-se.Per Engebak, director para o este e sul de África da Unicef explica num comunicado que “se pode fazer mais, muito mais, para prevenir estas mortes”, cujo número, em dois meses, supera o número de vítimas infantis no Tsunami da Ásia. Para salvar estas vidas é necessário intervir para melhorar as condições de higiene e sanitárias que “não é complicado, nem caro, mas que funciona”, afirma Engebak.Eritreia é um país africano, dos mais pobres do mundo, onde com diagnósticos atempados e tratamentos adequados se conseguiu reduzir significativamente a morte de crianças por malária. Este país está prestes a cumprir o seu objectivo de ter 60% das crianças com menos de cinco anos e mulheres grávidas a dormir com redes anti mosquitos. Esta medida tão simples demonstrou ser uma boa forma de prevenção da malária. O paludismo é a primeira causa de morte das crianças na África subsahariana.Neste sentido, a recente conferência da União Africana, que se realizou no início de Julho na Líbia, confirmou o compromisso dos países africanos melhorar a sobrevivência infantil e o desenvolvimento de melhores perspectivas neste continente.Os participantes na conferência fizeram um apelo a todos os estados membros presentes para introduzirem medidas necessárias para reduzir o número de vítimas infantis no continente, principalmente aquelas cujas causas são simplesmente evitáveis, e a cumprir os Objectivos do Milénio que pretendem reduzir em dois terços a taxa de mortalidade infantil em África.Fonte: Europa Press

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar