Morangos ajudam a reduzir declínio mental nos idosos

Estudo do Chicago Healthy Aging Project

03 agosto 2009
  |  Partilhar:

O consumo de morangos pode proteger o coração, reduzir os riscos de cancro, agir como anti-inflamatório e ainda ser benéfico para o cérebro, segundo um estudo realizado pelo Chicago Healthy Aging Project, dos EUA.

 

O estudo, apresentado no Berry Health Symposium, na Califórnia, indicou, por exemplo, que os idosos que comem morangos pelo menos uma vez por mês apresentam um menor declínio cognitivo. O trabalho aferiu que as mulheres que consomem mais de uma porção dessas frutas por mês teriam uma redução na taxa de declínio cognitivo na ordem de 16,2%, em comparação com aquelas que ingeriam menos morangos.

 

De acordo com os investigadores, os antioxidantes conferem propriedades anti-inflamatórias aos morangos. A maior parte dos processos patológicos do organismo começa através de inflamação e oxidação, que danifica as células. “Se as membranas das células nervosas estão saudáveis vão promover uma excelente comunicação dentro do cérebro e do sistema nervoso, e, deste modo, prevenir os danos causados pela inflamação e oxidação”, apontam os cientistas.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.